Todo Dia Com as Escrituras Números 14:26-45 (leia aqui) Em meio a esse triste episodio, que consolo é poder contemplar Josué e Calebe. Eles tinham “outro espírito” neles (v. 24). Além disso, eles não perderam a recompensa. Foram os únicos de toda aquela geração a entrar na terra. Até então tiveram de compartilhar do destino da nação culpada: vagar no deserto estéril por quarenta anos. Mas durante toda essa longa peregrinação, foram continuamente encorajados pela lembrança da terra de Canaã que tinham visitado e cujo fruto já haviam provado. Moisés anuncia a terrível notícia. Como as pessoas reagiram? Quando Calebe incitou o povo a avançar corajosamente e tomar posse da terra, eles quiseram retornar ao Egito e falaram sobre morrer no deserto (13:31; 14:2). Agora que o julgamento de Deus o faz retornar para o caminho do Mar Vermelho, e que Ele anuncia que eles morrerão no deserto, o povo quis evitar a punição e respondeu: “Eis-nos aqui e subiremos” (v. 40). O coração do homem jamais está em concordância com Deus, particularmente quando se trata de reconhecer os erros cometidos, de se submeter à disciplina e de aceitar com humildade as conseqüências dos próprios pecados. Apesar de Moisés lhes dizer “Não subam”, eles insistiram e sofreram uma cruel derrota.

Almeida Corrigida e Revisada Fiel

Números 14

26  Depois falou o Senhor a Moisés e a Arão dizendo:

27  Até quando sofrerei esta má congregação, que murmura contra mim? Tenho ouvido as murmurações dos filhos de Israel, com que murmuram contra mim.

28  Dize-lhes: Vivo eu, diz o Senhor, que, como falastes aos meus ouvidos, assim farei a vós outros.

29  Neste deserto cairão os vossos cadáveres, como também todos os que de vós foram contados segundo toda a vossa conta, de vinte anos para cima, os que dentre vós contra mim murmurastes;

30  Não entrareis na terra, pela qual levantei a minha mão que vos faria habitar nela, salvo Calebe, filho de Jefoné, e Josué, filho de Num.

31  Mas os vossos filhos, de que dizeis: Por presa serão, porei nela; e eles conhecerão a terra que vós desprezastes.

32  Porém, quanto a vós, os vossos cadáveres cairão neste deserto.

33  E vossos filhos pastorearão neste deserto quarenta anos, e levarão sobre si as vossas infidelidades, até que os vossos cadáveres se consumam neste deserto.

34  Segundo o número dos dias em que espiastes esta terra, quarenta dias, cada dia representando um ano, levareis sobre vós as vossas iniqüidades quarenta anos, e conhecereis o meu afastamento.

35  Eu, o Senhor, falei; assim farei a toda esta má congregação, que se levantou contra mim; neste deserto se consumirão, e aí falecerão.

36  E os homens que Moisés mandara a espiar a terra, e que, voltando, fizeram murmurar toda a congregação contra ele, infamando a terra,

37  Aqueles mesmos homens que infamaram a terra, morreram de praga perante o Senhor.

38  Mas Josué, filho de Num, e Calebe, filho de Jefoné, que eram dos homens que foram espiar a terra, ficaram com vida.

39  E falou Moisés estas palavras a todos os filhos de Israel; então o povo se contristou muito.

40  E levantaram-se pela manhã de madrugada, e subiram ao cume do monte, dizendo: Eis-nos aqui, e subiremos ao lugar que o Senhor tem falado; porquanto havemos pecado.

41  Mas Moisés disse: Por que transgredis o mandado do Senhor? Pois isso não prosperará.

42  Não subais, pois o Senhor não estará no meio de vós, para que não sejais feridos diante dos vossos inimigos.

43  Porque os amalequitas e os cananeus estão ali diante da vossa face, e caireis à espada; pois, porquanto vos desviastes do Senhor, o Senhor não estará convosco.

44  Contudo, temerariamente, tentaram subir ao cume do monte; mas a arca da aliança do Senhor e Moisés não se apartaram do meio do arraial.

45  Então desceram os amalequitas e os cananeus, que habitavam na montanha, e os feriram, derrotando-os até Horma.

Anúncios

Todo Dia Com as Escrituras Números 13:27-33 e 14:1-10 (leia aqui) Doze espiões foram enviados: um de cada tribo. Inicialmente não havia distinção entre eles. Mas a jornada de quarenta dias colocou os homens à prova (o número 40 na Bíblia sempre fala de teste). E, no retorno, cada um mostrou o que havia em seu coração. O resultado? Dez eram incrédulos; apenas dois, Josué e Calebe, tinham confiança em Deus. A fé conhece o Senhor e avalia as circunstâncias de acordo com o ponto de vista dEle. A incredulidade, por outro lado, mede tudo por padrões humanos e é detida por obstáculos visíveis. Os gigantes, filhos de Anaque, não eram imaginários, tampouco eram muralhas instransponíveis. Porém, a falha daqueles homens foi olhar para as próprias limitações e levar em consideração o que os inimigos pensavam sobre eles (v. 33). Eles deveriam olhar para o Senhor. Josué e Calebe não se envergonharam de declarar a fé que tinham diante de todos. Eles valorizavam o prêmio da herança prometida e imploraram a seus irmãos para tomar posse dela. Que exemplo sublime! Estejamos entre os que recomendam a “terra”, ou somos tais que encorajam outros a seguir ao Senhor Jesus? Discordar é sempre difícil e às vezes perigoso. Josué e Calebe não foram apedrejados pelo povo, pois tinham Deus do lado deles (v. 10).

Almeida Corrigida e Revisada Fiel

Números 14

1  ENTÃO toda a congregação levantou a sua voz; e o povo chorou naquela noite.

2  E todos os filhos de Israel murmuraram contra Moisés e contra Arão; e toda a congregação lhes disse: Quem dera tivéssemos morrido na terra do Egito! ou, mesmo neste deserto!

3  E por que o Senhor nos traz a esta terra, para cairmos à espada, e para que nossas mulheres e nossas crianças sejam por presa? Não nos seria melhor voltarmos ao Egito?

4  E diziam uns aos outros: Constituamos um líder, e voltemos ao Egito.

5  Então Moisés e Arão caíram sobre os seus rostos perante toda a congregação dos filhos de Israel.

6  E Josué, filho de Num, e Calebe filho de Jefoné, dos que espiaram a terra, rasgaram as suas vestes.

7  E falaram a toda a congregação dos filhos de Israel, dizendo: A terra pela qual passamos a espiar é terra muito boa.

8  Se o Senhor se agradar de nós, então nos porá nesta terra, e nô-la dará; terra que mana leite e mel.

9  Tão-somente não sejais rebeldes contra o Senhor, e não temais o povo dessa terra, porquanto são eles nosso pão; retirou-se deles o seu amparo, e o Senhor é conosco; não os temais.

10  Mas toda a congregação disse que os apedrejassem; porém a glória do Senhor apareceu na tenda da congregação a todos os filhos de Israel

Todo Dia Com as Escrituras Números 13:1-26 (leia aqui) O povo está chegando perto da terra prometida. Moisés envia doze homens como espiões com a missão de explorar a terra e trazer informações e alguns frutos dela. Quarenta dias são necessários para o reconhecimento do lugar. Os espiões vão a Hebrom, local como qual já estamos familiarizados; foi ali que Abraão comprou a cova de Macpela para fazer a tumba de Sara. Eles trouxeram um cacho de uvas tão pesado que foi preciso dois homens para carregá-lo. Para nós, a terra prometida é o céu. Como aquele povo, ainda estamos no deserto, símbolo deste mundo. Ainda não vimos a herança que Deus nos dará. Mas existe Um que sabe e pode falar dela para nós: este é o Espírito Santo, que nos mantêm ocupados com as coisas celestiais. Assim como as uvas de Escol davam prova positiva da riqueza da terra, o Espírito nos antecipa as alegrias do céu. Ele nos faz saber as coisas de Deus (1 Coríntios 2:12). Ele recebe e nos mostra o que vem de Cristo (João 16:14). Embora estejamos em um mundo que moralmente é um deserto para nossa alma, podemos já estar ocupados com Aquele que não vemos, mas amamos (1 Pedro 1:8).

Almeida Corrigida e Revisada Fiel

Números 13

1  E FALOU o Senhor a Moisés, dizendo:

2  Envia homens que espiem a terra de Canaã, que eu hei de dar aos filhos de Israel; de cada tribo de seus pais enviareis um homem, sendo cada um príncipe entre eles.

3  E enviou-os Moisés do deserto de Parã, segundo a ordem do Senhor; todos aqueles homens eram cabeças dos filhos de Israel.

4  E estes são os seus nomes: Da tribo de Rúben, Samua, filho de Zacur;

5  Da tribo de Simeão, Safate, filho de Hori;

6  Da tribo de Judá, Calebe, filho de Jefoné;

7  Da tribo de Issacar, Jigeal, filho de José;

8  Da tribo de Efraim, Oséias, filho de Num;

9  Da tribo de Benjamim, Palti, filho de Rafu;

10  Da tribo de Zebulom, Gadiel, filho de Sodi;

11  Da tribo de José, pela tribo de Manassés, Gadi filho de Susi;

12  Da tribo de Dã, Amiel, filho de Gemali;

13  Da tribo de Aser, Setur, filho de Micael;

14  Da tribo de Naftali, Nabi, filho de Vofsi;

15  Da tribo de Gade, Geuel, filho de Maqui.

16  Estes são os nomes dos homens que Moisés enviou a espiar aquela terra; e a Oséias, filho de Num, Moisés chamou Josué.

17  Enviou-os, pois, Moisés a espiar a terra de Canaã; e disse-lhes: Subi por aqui para o lado do sul, e subi à montanha:

18  E vede que terra é, e o povo que nela habita; se é forte ou fraco; se pouco ou muito.

19  E como é a terra em que habita, se boa ou má; e quais são as cidades em que eles habitam; se em arraiais, ou em fortalezas.

20  Também como é a terra, se fértil ou estéril; se nela há árvores, ou não; e esforçai-vos, e tomai do fruto da terra. E eram aqueles dias os dias das primícias das uvas.

21  Assim subiram e espiaram a terra desde o deserto de Zim, até Reobe, à entrada de Hamate.

22  E subiram para o lado do sul, e vieram até Hebrom; e estavam ali Aimã, Sesai e Talmai, filhos de Enaque (Hebrom foi edificada sete anos antes de Zoã no Egito).

23  Depois foram até ao vale de Escol, e dali cortaram um ramo de vide com um cacho de uvas, o qual trouxeram dois homens, sobre uma vara; como também das romãs e dos figos.

24  Chamaram àquele lugar o vale de Escol, por causa do cacho que dali cortaram os filhos de Israel.

25  E eles voltaram de espiar a terra, ao fim de quarenta dias.

26  E caminharam, e vieram a Moisés e a Arão, e a toda a congregação dos filhos de Israel no deserto de Parã, em Cades; e deram-lhes notícias, a eles, e a toda a congregação, e mostraram-lhes o fruto da terra.

Todo Dia Com as Escrituras Números 12:1-16 (leia aqui) Tiago diz que a língua é “um mal que não se pode refrear; está cheia de peçonha mortal” (3:8). Mais uma vez percebemos a destruição causada por ela. Aqui não mais na forma de murmurações do “populacho” (capítulo 11), mas através de críticas e calúnias que corromperam os mais honrados entre as famílias dos líderes do povo: Arão, o sumo sacerdote, e Miriã, a profetiza. Talvez as maliciosas palavras deles tivessem sido sussurradas “aos ouvidos no interior da casa”, no maior segredo (Lucas 12:3). Porém, “O SENHOR o ouviu” (v. 2; 11:1). Jamais nos esqueçamos de que nossas declarações mais confidenciais são ouvidas no céu. Moisés não disse nada. Cada vez que um desafio aos direitos do Senhor está envolvido, com justiça a ira de Moisés se acende, mas quando se trata de sua própria defesa, a mansidão dele é demonstrada por seu silêncio. Portanto, é Deus quem toma a defesa de Seu servo. Ele convoca os três envolvidos para o tabernáculo, e depois chama os dois culpados à frente. A severidade da punição revela a seriedade do pecado cometido. Miriã é castigada com lepra. Pela primeira vez Moisés abre sua boca para implorar que sua irmã fosse curada. Que o Senhor nos preserve de “toda maldade e dolo, de hipocrisias e invejas e de toda sorte de maledicências” (1 Pedro 2:1).

Almeida Corrigida e Revisada Fiel

Números 12

1  E FALARAM Miriã e Arão contra Moisés, por causa da mulher cusita, com quem casara; porquanto tinha casado com uma mulher cusita.

2  E disseram: Porventura falou o Senhor somente por Moisés? Não falou também por nós? E o Senhor o ouviu.

3  E era o homem Moisés mui manso, mais do que todos os homens que havia sobre a terra.

4  E logo o Senhor disse a Moisés, a Arão e a Miriã: Vós três saí à tenda da congregação. E saíram eles três.

5  Então o Senhor desceu na coluna de nuvem, e se pôs à porta da tenda; depois chamou a Arão e a Miriã e ambos saíram.

6  E disse: Ouvi agora as minhas palavras; se entre vós houver profeta, eu, o Senhor, em visão a ele me farei conhecer, ou em sonhos falarei com ele.

7  Não é assim com o meu servo Moisés que é fiel em toda a minha casa.

8  Boca a boca falo com ele, claramente e não por enigmas; pois ele vê a semelhança do Senhor; por que, pois, não tivestes temor de falar contra o meu servo, contra Moisés?

9  Assim a ira do Senhor contra eles se acendeu; e retirou-se.

10  E a nuvem se retirou de sobre a tenda; e eis que Miriã ficou leprosa como a neve; e olhou Arão para Miriã, e eis que estava leprosa.

11  Por isso Arão disse a Moisés: Ai, senhor meu, não ponhas sobre nós este pecado, pois agimos loucamente, e temos pecado.

12  Ora, não seja ela como um morto, que saindo do ventre de sua mãe, a metade da sua carne já esteja consumida.

13  Clamou, pois, Moisés ao Senhor, dizendo: Ó Deus, rogo-te que a cures.

14  E disse o Senhor a Moisés: Se seu pai cuspira em seu rosto, não seria envergonhada sete dias? Esteja fechada sete dias fora do arraial, e depois a recolham.

15  Assim Miriã esteve fechada fora do arraial sete dias, e o povo não partiu, até que recolheram a Miriã.

16  Porém, depois o povo partiu de Hazerote; e acampou-se no deserto de Parã.

Todo Dia Com as Escrituras Números 11:24-35 (leia aqui) A seu pedido, Moisés é aliviado de parte de suas responsabilidades a favor dos setenta anciãos. Desde o quarto capítulo de Êxodo, Arão foi apontado como a “boca” de Moisés (v. 16). É humilhante pensar que nossa falta de fé às vezes obriga o Senhor a confiar parte de nosso trabalho a outros. Os anciãos estão reunidos no tabernáculo onde o Espírito vem sobre eles. Aprendemos que dois desses homens, Eldade e Medade, ficaram no acampamento e profetizaram ali. Josué queria impedi-los (conforme Lucas 9:49), mas para Moisés isso era uma boa notícia. O próprio Paulo se alegrava de todo o coração que o Evangelho estivesse sendo pregado, mesmo “por inveja e porfia” (Filipenses 1:15-18). Se Deus nos tem mostrado o caminho de separação, “fora do arraial, levando o seu vitupério” (Hebreus 13:13), vamos nos conter da atitude de superioridade de julgar os crentes que, talvez mais pia e devotadamente que nós, ainda não entenderam essa separação. Tudo o que possuímos ou sabemos, temos recebido da pura graça de Deus por nós. Podemos imaginar o que aconteceu com os milhares de codornizes mortas sob o sol do deserto! Gálatas 6:8 nos adverte que “o que semeia para a sua própria carne da carne colherá corrupção”.

Almeida Corrigida e Revisada Fiel

Números 11

24  E saiu Moisés, e falou as palavras do Senhor ao povo, e ajuntou setenta homens dos anciãos do povo e os pôs ao redor da tenda.

25  Então o Senhor desceu na nuvem, e lhe falou; e, tirando do espírito, que estava sobre ele, o pôs sobre aqueles setenta anciãos; e aconteceu que, quando o espírito repousou sobre eles, profetizaram; mas depois nunca mais.

26  Porém no arraial ficaram dois homens; o nome de um era Eldade, e do outro Medade; e repousou sobre eles o espírito (porquanto estavam entre os inscritos, ainda que não saíram à tenda), e profetizavam no arraial.

27  Então correu um moço e anunciou a Moisés e disse: Eldade e Medade profetizam no arraial.

28  E Josué, filho de Num, servidor de Moisés, um dos seus jovens escolhidos, respondeu e disse: Moisés, meu senhor, proíbe-lho.

29  Porém, Moisés lhe disse: Tens tu ciúmes por mim? Quem dera que todo o povo do Senhor fosse profeta, e que o Senhor pusesse o seu espírito sobre ele!

30  Depois Moisés se recolheu ao arraial, ele e os anciãos de Israel.

31  Então soprou um vento do Senhor e trouxe codornizes do mar, e as espalhou pelo arraial quase caminho de um dia, de um lado e de outro lado, ao redor do arraial; quase dois côvados sobre a terra.

32  Então o povo se levantou todo aquele dia e toda aquela noite, e todo o dia seguinte, e colheram as codornizes; o que menos tinha, colhera dez ômeres; e as estenderam para si ao redor do arraial.

33  Quando a carne estava entre os seus dentes, antes que fosse mastigada, se acendeu a ira do Senhor contra o povo, e feriu o Senhor o povo com uma praga mui grande.

34  Por isso o nome daquele lugar se chamou Quibrote-Ataavá, porquanto ali enterraram o povo que teve o desejo.

35  De Quibrote-Ataavá caminhou o povo para Hazerote, e pararam em Hazerote.

Todo Dia Com as Escrituras Números 11:10-23 (leia aqui) E aqui encontramos Moisés desencorajado! Ele culpa o Senhor por ter de suportar o peso de todo aquele povo (v. 11), ele mesmo que no final do capítulo anterior falava triunfantemente dos “milhares de milhares de Israel”. É claro que Moisés não podia carregar a responsabilidade desse povo “sozinho”, porém, de fato, ele não estava só! O próprio Senhor levava Israel “sobre asas de águia” (Êxodo 19:4) e “como um homem leva a seu filho” (Deuteronômio 1:31). O Salmo 106 relembra esse triste episódio: “Cedo, porém, se esqueceram das suas obras e não lhe aguardaram os desígnios; entregaram-se à cobiça, no deserto; e tentaram a Deus na solidão. Concedeu-lhes o que pediram, mas fez definhar-lhes a alma” (vv.13-15). Encontramos aqui uma verdade muito séria. Quando insistimos em colocar as mãos em algo que Deus não tem a intenção de nos dar, talvez Ele nos permita finalmente ter aquela coisa, mas com conseqüências desastrosas. Para esse povo, elas estão descritas nos versículos 19, 20 e 33. A palavra traduzida como “definhar” literalmente significa consumir progressivamente. Para nossa alma, definhar é muito pior que adoecer. Que Deus nos guarde dessas cobiças “que fazem guerra contra a alma” (1 Pedro 2:11), enquanto nos ensina a estarmos satisfeitos tanto com o que Ele tem nos dado… quanto com o que retém de nós.

Almeida Corrigida e Revisada Fiel

Números 11

10  Então Moisés ouviu chorar o povo pelas suas famílias, cada qual à porta da sua tenda; e a ira do Senhor grandemente se acendeu, e pareceu mal aos olhos de Moisés.

11  E disse Moisés ao Senhor: Por que fizeste mal a teu servo, e por que não achei graça aos teus olhos, visto que puseste sobre mim o cargo de todo este povo?

12  Concebi eu porventura todo este povo? Dei-o eu à luz? para que me dissesses: leva-o ao teu colo, como a ama leva a criança que mama, à terra que juraste a seus pais?

13  De onde teria eu carne para dar a todo este povo? Porquanto contra mim choram, dizendo: Dá-nos carne a comer;

14  Eu só não posso levar a todo este povo, porque muito pesado é para mim.

15  E se assim fazes comigo, mata-me, peço-te, se tenho achado graça aos teus olhos, e não me deixes ver o meu mal.

16  E disse o Senhor a Moisés: Ajunta-me setenta homens dos anciãos de Israel, que sabes serem anciãos do povo e seus oficiais; e os trarás perante a tenda da congregação, e ali estejam contigo.

17  Então eu descerei e ali falarei contigo, e tirarei do espírito que está sobre ti, e o porei sobre eles; e contigo levarão a carga do povo, para que tu não a leves sozinho.

18  E dirás ao povo: Santificai-vos para amanhã, e comereis carne; porquanto chorastes aos ouvidos do Senhor, dizendo: Quem nos dará carne a comer? Pois íamos bem no Egito; por isso o Senhor vos dará carne, e comereis;

19  Não comereis um dia, nem dois dias, nem cinco dias, nem dez dias, nem vinte dias;

20  Mas um mês inteiro, até vos sair pelas narinas, até que vos enfastieis dela; porquanto rejeitastes ao Senhor, que está no meio de vós, e chorastes diante dele, dizendo: Por que saímos do Egito?

21  E disse Moisés: Seiscentos mil homens de pé é este povo, no meio do qual estou; e tu tens dito: Dar-lhes-ei carne, e comerão um mês inteiro.

22  Degolar-se-ão para eles ovelhas e vacas que lhes bastem? Ou ajuntar-se-ão para eles todos os peixes do mar, que lhes bastem?

23  Porém, o Senhor disse a Moisés: Teria sido encurtada a mão do Senhor? Agora verás se a minha palavra se há de cumprir ou não.

Todo Dia Com as Escrituras Números 11:1-9 (leia aqui) Em sua ingratidão, o povo murmurou e o Senhor os puniu. Mas a lição não foi suficiente. A cobiça, condenada pelo décimo mandamento da lei, se disseminou no coração do “populacho” (v. 4) (esse agrupamento misto de pessoas que havia deixado o Egito com Israel – Êxodo 12:38). Onde estão as coisas que costumávamos comer no Egito de graça? Aqueles pobres se esqueceram dos tijolos, da palha e de quão caro opressor os fazia pagar pelas migalhas que recebiam. As comidas egípcias: alhos silvestres, cebolas, alho etc., tinham em sua maioria um forte sabor, despertando o apetite, mas não eram nutritivos, e às vezes eram até indigestos. Onde as pessoas deste mundo têm alimentados sua mente? Nas revistas, novelas, filmes… atraentes à carne, mas sem benefício algum para a alma, muito pelo contrário! Israel lembra-se das comidas egípcias nesse momento porque o maná tinha perdido o delicioso gosto de bolos de mel para o povo (Êxodo 16:31). Não passava de um bolo feito com azeite (v. 8), que mais tarde foi descrito pelo povo como “deste pão vil” (21:5). Queridos leitores, se estamos sendo tentados pelas delícias deste mundo, perguntemos a nós mesmos: “Isso não está acontecendo porque a Palavra tem perdido o gosto para mim?” O Senhor Jesus declarou: “Eu sou o pão da vida; o que vem a mim jamais terá fome” (João 6:35).

Almeida Corrigida e Revisada Fiel

Números 11

1  E ACONTECEU que, queixou-se o povo falando o que era mal aos ouvidos do Senhor; e ouvindo o Senhor a sua ira se acendeu; e o fogo do Senhor ardeu entre eles e consumiu os que estavam na última parte do arraial.

2  Então o povo clamou a Moisés, e Moisés orou ao Senhor, e o fogo se apagou.

3  Pelo que chamou aquele lugar Taberá, porquanto o fogo do Senhor se acendera entre eles.

4  E o vulgo, que estava no meio deles, veio a ter grande desejo; pelo que os filhos de Israel tornaram a chorar, e disseram: Quem nos dará carne a comer?

5  Lembramo-nos dos peixes que no Egito comíamos de graça; e dos pepinos, e dos melões, e dos porros, e das cebolas, e dos alhos.

6  Mas agora a nossa alma se seca; coisa nenhuma há senão este maná diante dos nossos olhos.

7  E era o maná como semente de coentro, e a sua cor como a cor de bdélio.

8  Espalhava-se o povo e o colhia, e em moinhos o moía, ou num gral o pisava, e em panelas o cozia, e dele fazia bolos; e o seu sabor era como o sabor de azeite fresco.

9  E, quando o orvalho descia de noite sobre o arraial, o maná descia sobre ele.