Levítico 27:16-34 (leia aqui) Deixemos que o Senhor estime e avalie o que os outros fazem! Mas também não nos preocupemos por alcançar a aprovação dos que nos rodeiam. Não esperemos que os homens nos atribuam mais do que ao nosso Senhor, ao qual avaliaram por apenas trinta moedas de prata (Zacarias 11:11-12). Ao invés disso, convém que nos esforcemos por nos apresentar aprovados diante de Deus (2 Timóteo 2:15). No livro de Levítico, analisamos o sacerdote e sua função, e agora chegamos ao final do livro — cujo estudo é às vezes árduo, mas nos permite voltar nossa atenção a Jesus, nosso Sumo Sacerdote! E somos capazes de reconhecer Seu envolvimento em cada área da vida de Seu povo. Para nossa salvação, Ele entrou no santo lugar pelo Seu próprio sangue, obtendo para nós eterna redenção. Para nosso andar diário, Ele nos mantêm livres de toda impureza. E, finalmente, para o serviço, Ele é, neste capítulo, Aquele que avalia tudo de acordo com o seu valor genuíno! Infelizmente, existem cristãos que estão prontos para receber a salvação, mas depois disso preferem que o Senhor não Se envolva com as questões deles. Para estes, talvez seja necessário passar por experiências tristes, como lemos no capítulo 26, até que as afeições deles despertem. Que o Senhor nos dê a completa confiança em Sua Pessoa e em Sua obra!

Levítico 27

16  Se também alguém santificar ao Senhor uma parte do campo da sua possessão, então a tua avaliação será segundo a sua semente: um ômer de semente de cevada será avaliado por cinqüenta siclos de prata.

17  Se santificar o seu campo desde o ano do jubileu, conforme à tua avaliação ficará.

18  Mas, se santificar o seu campo depois do ano do jubileu, então o sacerdote lhe contará o dinheiro conforme aos anos restantes até ao ano do jubileu, e isto se abaterá da tua avaliação.

19  E se aquele que santificou o campo de alguma maneira o resgatar, então acrescentará a quinta parte do dinheiro da tua avaliação, e ficará seu.

20  E se não resgatar o campo, ou se vender o campo a outro homem, nunca mais se resgatará.

21  Porém havendo o campo saído no ano do jubileu, será santo ao Senhor, como campo consagrado; a possessão dele será do sacerdote.

22  E se alguém santificar ao Senhor o campo que comprou, e não for parte do campo da sua possessão,

23  Então o sacerdote lhe contará o valor da tua avaliação até ao ano do jubileu; e no mesmo dia dará a tua avaliação como coisa santa ao Senhor.

24  No ano do jubileu o campo tornará àquele de quem o comprou, àquele de quem era a possessão do campo.

25  E toda a tua avaliação se fará conforme ao siclo do santuário; o siclo será de vinte geras.

26  Mas o primogênito de um animal, por já ser do Senhor ninguém o santificará; seja boi ou gado miúdo, do Senhor é.

27  Mas, se for de um animal imundo, o resgatará, segundo a tua estimação, e sobre ele acrescentará a sua quinta parte; e se não se resgatar, vender-se-á segundo a tua estimação.

28  Todavia, nenhuma coisa consagrada, que alguém consagrar ao Senhor de tudo o que tem, de homem, ou de animal, ou do campo da sua possessão, se venderá nem resgatará; toda a coisa consagrada será santíssima ao Senhor.

29  Toda a coisa consagrada que for consagrada do homem, não será resgatada; certamente morrerá.

30  Também todas as dízimas do campo, da semente do campo, do fruto das árvores, são do Senhor; santas são ao Senhor.

31  Porém, se alguém das suas dízimas resgatar alguma coisa, acrescentará a sua quinta parte sobre ela.

32  No tocante a todas as dízimas do gado e do rebanho, tudo o que passar debaixo da vara, o dízimo será santo ao Senhor.

33  Não se investigará entre o bom e o mau, nem o trocará; mas, se de alguma maneira o trocar, tanto um como o outro será santo; não serão resgatados.

34  Estes são os mandamentos que o Senhor ordenou a Moisés, para os filhos de Israel, no monte Sinai.

Anúncios

Levítico 27:1-15 (leia aqui) Este capítulo trata sobre os votos que os filhos de Israel podiam fazer e a maneira pela qual o sacerdote deveria avaliá-los. No capitulo 30 de Êxodo, nossa atenção é dirigida ao fato de que o preço da redenção era igual para todos. Aqui, pelo contrário, as taxas variavam. De fato, isso não é uma questão que representa nossa salvação, mas, sim, a capacidade que cada um tem. Redimidos pelo mesmo preço, o precioso sangue de Cristo, todos os filhos de Deus estão longe de estar no mesmo nível espiritual ou de ter a mesma aptidão para o serviço. E o sacerdote deve intervir para avaliar a obra de cada um: “segundo a avaliação do sacerdote, assim serᔠ(v. 12). Nós, que criticamos tão facilmente o que os outros fazem ou não fazem, não nos esqueçamos de que o Único que julga é o Senhor (1 Coríntios 4:4-5). Pessoas, animais ou casas, tudo poderia ser consagrado ao Senhor. De fato, não temos nada mais precioso para oferecer ao Senhor do que nós mesmos. Isso foi o que os macedônios fizeram, a respeito de quem o apóstolo diz: “Porque eles, testemunho eu… deram-se a si mesmos primeiro ao Senhor”, e, originada dessa oferta inicial, toda obra deles espontaneamente abundou em alegria (2 Coríntios 8:2-5).

Levítico 27

1  FALOU mais o Senhor a Moisés, dizendo:

2  Fala aos filhos de Israel, e dize-lhes: Quando alguém fizer particular voto, segundo a tua avaliação serão as pessoas ao Senhor.

3  Se for a tua avaliação de um homem, da idade de vinte anos até a idade de sessenta, será a tua avaliação de cinqüenta siclos de prata, segundo o siclo do santuário.

4  Porém, se for mulher, a tua avaliação será de trinta siclos.

5  E, se for de cinco anos até vinte, a tua avaliação de um homem será vinte siclos e da mulher dez siclos.

6  E, se for de um mês até cinco anos, a tua avaliação de um homem será de cinco siclos de prata, e a tua avaliação pela mulher será de três siclos de prata.

7  E, se for de sessenta anos e acima, pelo homem a tua avaliação será de quinze siclos e pela mulher dez siclos.

8  Mas, se for mais pobre do que a tua avaliação, então apresentar-se-á diante do sacerdote, para que o sacerdote o avalie; conforme as posses daquele que fez o voto, o avaliará o sacerdote.

9  E, se for animal dos que se oferecem em oferta ao Senhor, tudo quanto der dele ao Senhor será santo.

10  Não o mudará, nem o trocará bom por mau, ou mau por bom; se porém de alguma maneira trocar animal por animal, tanto um como o outro, será santo.

11  E, se for algum animal imundo, dos que não se oferecem em oferta ao Senhor, então apresentará o animal diante do sacerdote,

12  E o sacerdote o avaliará, seja bom ou seja mau; segundo a avaliação do sacerdote, assim será.

13  Porém, se de alguma maneira o resgatar, então acrescentará a sua quinta parte sobre a tua avaliação.

14  E quando alguém santificar a sua casa para ser santa ao Senhor, o sacerdote a avaliará, seja boa ou seja má; como o sacerdote a avaliar, assim será.

15  Mas, se o que a santificou resgatar a sua casa, então acrescentará a quinta parte do dinheiro sobre a tua avaliação, e será sua.

Levítico 26:34-46 (leia aqui) Os direitos de Deus serão reconhecidos de uma maneira ou de outra. Se a nação não observar o sábado dos anos prescrito no capítulo 25, o Senhor irá lhes obrigar a fazer isso, arrancando-os à força da terra que é dEle. Por assim dizer, Israel não cumprirá as condições de arrendamento impostas pelo Proprietário das terras. E essa será uma das razões para o cativeiro da Babilônia (leia 2 Crônicas 36:20-21). As conseqüências do pecado de Israel de fato serão terríveis. Deus é mais severo com Seu povo do que é com as outras nações. A responsabilidade deles certamente é muito maior. Os oráculos divinos lhes foram confiados. Eles estão em um relacionamento com o verdadeiro Deus cujo nome, através deles, é blasfemado entre os gentios (Romanos 3:2; 2:24). Mas se Deus tem sido mais exigente com Israel do que com as nações pagãs, você não acha que Ele teria de ser ainda mais com aqueles que, como nós, têm Sua Palavra nas mãos, ou que foram criados por pais cristãos? “Àquele a quem muito foi dado, muito lhe será exigido” (Lucas 12:48). Observe também que a confissão dos pecados (v. 40) e a aceitação da punição (v. 43) eram as condições para a restauração.

Levítico 26

34  Então a terra folgará nos seus sábados, todos os dias da sua assolação, e vós estareis na terra dos vossos inimigos; então a terra descansará, e folgará nos seus sábados.

35  Todos os dias da assolação descansará, porque não descansou nos vossos sábados, quando habitáveis nela.

36  E, quanto aos que de vós ficarem, eu porei tal pavor nos seus corações, nas terras dos seus inimigos, que o ruído de uma folha movida os perseguirá; e fugirão como quem foge da espada; e cairão sem ninguém os perseguir.

37  E cairão uns sobre os outros como diante da espada, sem ninguém os perseguir; e não podereis resistir diante dos vossos inimigos.

38  E perecereis entre as nações, e a terra dos vossos inimigos vos consumirá.

39  E aqueles que entre vós ficarem se consumirão pela sua iniqüidade nas terras dos vossos inimigos, e pela iniqüidade de seus pais com eles se consumirão.

40  Então confessarão a sua iniqüidade, e a iniqüidade de seus pais, com as suas transgressões, com que transgrediram contra mim; como também eles andaram contrariamente para comigo.

41  Eu também andei para com eles contrariamente, e os fiz entrar na terra dos seus inimigos; se então o seu coração incircunciso se humilhar, e então tomarem por bem o castigo da sua iniqüidade,

42  Também eu me lembrarei da minha aliança com Jacó, e também da minha aliança com Isaque, e também da minha aliança com Abraão me lembrarei, e da terra me lembrarei.

43  E a terra será abandonada por eles, e folgará nos seus sábados, sendo assolada por causa deles; e tomarão por bem o castigo da sua iniqüidade, em razão mesmo de que rejeitaram os meus juízos e a sua alma se enfastiou dos meus estatutos.

44  E, demais disto também, estando eles na terra dos seus inimigos, não os rejeitarei nem me enfadarei deles, para consumi-los e invalidar a minha aliança com eles, porque eu sou o Senhor seu Deus.

45  Antes por amor deles me lembrarei da aliança com os seus antepassados, que tirei da terra do Egito perante os olhos dos gentios, para lhes ser por Deus. Eu sou o Senhor.

46  Estes são os estatutos, e os juízos, e as leis que deu o Senhor entre si e os filhos de Israel, no monte Sinai, pela mão de Moisés.

Todo Dia Com as Escrituras Levítico 26:14-33 (leia aqui) O Senhor mais uma vez advertiu previamente o Seu povo contra a idolatria (v. 1). Infelizmente —uma palavra do profeta Amós será necessária (Amós 5:25-27), citada por Estevão (Atos 7:42, 43) para nos fazer saber — enquanto estava no deserto, a casa de Israel se prostrou diante dos ídolos que fizeram para eles mesmos e, em particular, ao abominável Moloque (ver 20:1-5). Essa é a razão pela qual todas essas ameaças, de crescente severidade, foram cumpridas em futuro distante sobre a nação culpada. Quão duro é o coração humano! Para quebrá-lo, Deus tem de desferir golpes cada vez mais fortes. Bem, às vezes Ele é forçado a nos tratar da mesma maneira! Ele começa nos corrigindo gentilmente e, se não escutarmos, Sua voz se torna mais e mais urgente. Provérbios 29:1 nos avisa: “O homem que muitas vezes repreendido endurece a cerviz será quebrantado de repente sem que haja cura”. Que aprendamos a reconhecer imediatamente a voz do Senhor e não recusar Sua correção (Salmo 141:5). Porque Ele nos ama, Ele jamais nos castigará além do necessário para que a lição seja aprendida. Porque Ele é fiel, Ele persistirá até o fim para assegurar que essa paciente obra trará nossos pensamentos e coração de volta a Ele.

Levítico 26

14  Mas, se não me ouvirdes, e não cumprirdes todos estes mandamentos,

15  E se rejeitardes os meus estatutos, e a vossa alma se enfadar dos meus juízos, não cumprindo todos os meus mandamentos, para invalidar a minha aliança,

16  Então eu também vos farei isto: porei sobre vós terror, a tísica e a febre ardente, que consumam os olhos e atormentem a alma; e semeareis em vão a vossa semente, pois os vossos inimigos a comerão.

17  E porei a minha face contra vós, e sereis feridos diante de vossos inimigos; e os que vos odeiam, de vós se assenhorearão, e fugireis, sem ninguém vos perseguir.

18  E, se ainda com estas coisas não me ouvirdes, então eu prosseguirei a castigar-vos sete vezes mais, por causa dos vossos pecados.

19  Porque quebrarei a soberba da vossa força; e farei que os vossos céus sejam como ferro e a vossa terra como cobre.

20  E em vão se gastará a vossa força; a vossa terra não dará a sua colheita, e as árvores da terra não darão o seu fruto.

21  E se andardes contrariamente para comigo, e não me quiserdes ouvir, trar-vos-ei pragas sete vezes mais, conforme os vossos pecados.

22  Porque enviarei entre vós as feras do campo, as quais vos desfilharão, e desfarão o vosso gado, e vos diminuirão; e os vossos caminhos serão desertos.

23  Se ainda com estas coisas não vos corrigirdes voltando para mim, mas ainda andardes contrariamente para comigo,

24  Eu também andarei contrariamente para convosco, e eu, eu mesmo, vos ferirei sete vezes mais por causa dos vossos pecados.

25  Porque trarei sobre vós a espada, que executará a vingança da aliança; e ajuntados sereis nas vossas cidades; então enviarei a peste entre vós, e sereis entregues na mão do inimigo.

26  Quando eu vos quebrar o sustento do pão, então dez mulheres cozerão o vosso pão num só forno, e devolver-vos-ão o vosso pão por peso; e comereis, mas não vos fartareis.

27  E se com isto não me ouvirdes, mas ainda andardes contrariamente para comigo,

28  Também eu para convosco andarei contrariamente em furor; e vos castigarei sete vezes mais por causa dos vossos pecados.

29  Porque comereis a carne de vossos filhos, e a carne de vossas filhas.

30  E destruirei os vossos altos, e desfarei as vossas imagens, e lançarei os vossos cadáveres sobre os cadáveres dos vossos deuses; a minha alma se enfadará de vós.

31  E reduzirei as vossas cidades a deserto, e assolarei os vossos santuários, e não cheirarei o vosso cheiro suave.

32  E assolarei a terra e se espantarão disso os vossos inimigos que nela morarem.

33  E espalhar-vos-ei entre as nações, e desembainharei a espada atrás de vós; e a vossa terra será assolada, e as vossas cidades serão desertas.

Todo Dia Com as Escrituras Levítico 26:1-13 (leia aqui) Há dois princípios divinos que sempre andam juntos: um é a soberana graça — admiramos sua atividade no capítulo 25. O outro é o governo, assunto deste capítulo. Enquanto Deus, de um lado, dá sem impor condições; por outro, Ele cuida de que cada um colha o que semeou. O Senhor se esforça para advertir Seu povo das conseqüências, boas ou más, da conduta boa ou má deles. E como Ele sempre tem em vista o bem, Ele começa a descrição das bênçãos que Israel terá se andar em obediência, não pelas ameaças, mas pelas promessas encorajadoras. Sem dúvida, essas são bênçãos terrenas em contraste com as dos cristãos, que são abençoados “com toda sorte de bênção espiritual nas regiões celestiais em Cristo” (Efésios 1:3). Mas uma das promessas do Senhor, de valor incomparável, é compartilhada tanto por Seu povo terreno quanto pelo povo celestial: é a que está no versículo 12, que Paulo citou aos coríntios: “Andarei entre vós e serei o vosso Deus, e vós sereis o meu povo”. Isso transmite a mesma responsabilidade que Israel tinha para os cristãos: separar-se completamente de toda idolatria (2 Coríntios 6:16).

Almeida Corrigida e Revisada Fiel

Levítico 26

1  NÃO fareis para vós ídolos, nem vos levantareis imagem de escultura, nem estátua, nem poreis pedra figurada na vossa terra, para inclinar-vos a ela; porque eu sou o Senhor vosso Deus.

2  Guardareis os meus sábados, e reverenciareis o meu santuário. Eu sou o Senhor.

3  Se andardes nos meus estatutos, e guardardes os meus mandamentos, e os cumprirdes,

4  Então eu vos darei as chuvas a seu tempo; e a terra dará a sua colheita, e a árvore do campo dará o seu fruto;

5  E a debulha se vos chegará à vindima, e a vindima se chegará à sementeira; e comereis o vosso pão a fartar, e habitareis seguros na vossa terra.

6  Também darei paz na terra, e dormireis seguros, e não haverá quem vos espante; e farei cessar os animais nocivos da terra, e pela vossa terra não passará espada.

7  E perseguireis os vossos inimigos, e cairão à espada diante de vós.

8  Cinco de vós perseguirão a um cento deles, e cem de vós perseguirão a dez mil; e os vossos inimigos cairão à espada diante de vós.

9  E para vós olharei, e vos farei frutificar, e vos multiplicarei, e confirmarei a minha aliança convosco.

10  E comereis da colheita velha, há muito tempo guardada, e tirareis fora a velha por causa da nova.

11  E porei o meu tabernáculo no meio de vós, e a minha alma de vós não se enfadará.

12  E andarei no meio de vós, e eu vos serei por Deus, e vós me sereis por povo.

13  Eu sou o Senhor vosso Deus, que vos tirei da terra dos egípcios, para que não fôsseis seus escravos; e quebrei os timões do vosso jugo, e vos fiz andar eretos.

Todo Dia Com as Escrituras Levítico 17:1-16 (leia aqui) Deus reservou para Si mesmo o direito ao sangue (ver 7:26, 27). Desse momento em diante, o sangue dos sacrifícios, renovado anualmente, está diante de Seus olhos no lugar santíssimo (cap. 16). E esse sangue, indispensável para a manutenção do relacionamento entre Ele e o povo, fala constantemente ao coração de Deus sobre a obra de Seu amado Filho. Diversas passagens da Escritura demonstram as virtudes do sangue de Cristo. Ele faz “expiação pela vossa alma” (v. 11). Ele “purifica de todo pecado” (1 João 1:7). A mínima falta que cometemos tem de ser expiada por esse sangue e não pode ser de outra forma. Por ele, Jesus comprou “para Deus os que procedem de toda tribo, língua, povo e nação” (Apocalipse 5:9), nos resgatou do nosso fútil procedimento (1 Pedro 1:18-19), “nos libertou dos nossos pecados” (Apocalipse 1:5), nos justificou (Romanos 5:9), nos reconciliou (Colossenses 1:20), nos santificou (Hebreus 13:12), nos aproximou (Efésios 2:13); por esse sangue um caminho foi aberto diretamente ao Santo dos Santos (Hebreus 10:19). Por ele, a vitória também nos foi dada (Apocalipse 12:11). Precioso sangue de Jesus! Sua virtude e eficácia é uma pedra de tropeço para os que não se apoderam dele pela fé, mas para os redimidos é um motivo eterno de louvor e adoração. “Àquele que nos ama, e, pelo seu sangue, nos libertou dos nossos pecados… a ele a glória e o domínio pelos séculos dos séculos. Amém!” (Apocalipse 1:5-6).

Almeida Corrigida e Revisada Fiel

Levítico 17

1  FALOU mais o Senhor a Moisés, dizendo:

2  Fala a Arão e aos seus filhos, e a todos os filhos de Israel, e dize-lhes: Esta é a palavra que o Senhor ordenou, dizendo:

3  Qualquer homem da casa de Israel que degolar boi, ou cordeiro, ou cabra, no arraial, ou quem os degolar fora do arraial,

4  E não os trouxer à porta da tenda da congregação, para oferecer oferta ao Senhor diante do tabernáculo do Senhor, a esse homem será imputado o sangue; derramou sangue; por isso será extirpado do seu povo;

5  Para que os filhos de Israel, trazendo os seus sacrifícios, que oferecem sobre a face do campo, os tragam ao Senhor, à porta da tenda da congregação, ao sacerdote, e os ofereçam por sacrifícios pacíficos ao Senhor.

6  E o sacerdote espargirá o sangue sobre o altar do Senhor, à porta da tenda da congregação, e queimará a gordura por cheiro suave ao Senhor.

7  E nunca mais oferecerão os seus sacrifícios aos demônios, após os quais eles se prostituem; isto ser-lhes-á por estatuto perpétuo nas suas gerações.

8  Dize-lhes pois: Qualquer homem da casa de Israel, ou dos estrangeiros que peregrinam entre vós, que oferecer holocausto ou sacrifício,

9  E não o trouxer à porta da tenda da congregação, para oferecê-lo ao Senhor, esse homem será extirpado do seu povo.

10  E qualquer homem da casa de Israel, ou dos estrangeiros que peregrinam entre eles, que comer algum sangue, contra aquela alma porei a minha face, e a extirparei do seu povo.

11  Porque a vida da carne está no sangue; pelo que vo-lo tenho dado sobre o altar, para fazer expiação pelas vossas almas; porquanto é o sangue que fará expiação pela alma.

12  Portanto tenho dito aos filhos de Israel: Nenhum dentre vós comerá sangue, nem o estrangeiro, que peregrine entre vós, comerá sangue.

13  Também qualquer homem dos filhos de Israel, ou dos estrangeiros que peregrinam entre eles, que caçar animal ou ave que se come, derramará o seu sangue, e o cobrirá com pó;

14  Porquanto a vida de toda a carne é o seu sangue; por isso tenho dito aos filhos de Israel: Não comereis o sangue de nenhuma carne, porque a vida de toda a carne é o seu sangue; qualquer que o comer será extirpado.

15  E todo o homem entre os naturais, ou entre os estrangeiros, que comer corpo morto ou dilacerado, lavará as suas vestes, e se banhará com água, e será imundo até à tarde; depois será limpo.

16  Mas, se os não lavar, nem banhar a sua carne, levará sobre si a sua iniqüidade.

Todo Dia Com as Escrituras Levítico 14:1-13 (leia aqui) O dia da purificação do leproso chegara. Ele é trazido diante do sacerdote. Observe o papel imperceptível mas indispensável do amigo que traz o enfermo àquele que iria declará-lo limpo. É precioso ser usado por Deus para levar os pecadores ao Senhor Jesus. É um serviço que até o mais jovem cristão pode fazer (João 1:42, 46). Mas se o sacerdote permanecesse no tabernáculo ou no acampamento, o leproso, que tinha sido banido, jamais seria capaz de se encontrar com ele. O sacerdote, portanto, saía para fora do acampamento (v. 3). Assim o Senhor Jesus deixou a glória para encontrar o pecador. Nós não poderíamos caminhar até Ele, então Ele percorreu todo o caminho até nos alcançar. Como o filho pródigo entraria na casa do pai sujo e maltrapilho? Seu pai foi encontrá-lo e o vestiu com a melhor roupa enquanto ele ainda estava fora da casa. Quanto aos detalhes do processo da purificação, os dois pássaros nos falam do remédio divino aplicável ao pecado de cada pessoa: a morte do Senhor, o primeiro pássaro sacrificado; Sua ressurreição, o segundo pássaro solto, manchado com o sangue que levaria aos céus para colocá-lo simbolicamente diante dos olhos de um Deus satisfeito.

Almeida Corrigida e Revisada Fiel

Levítico 14

1  DEPOIS falou o Senhor a Moisés, dizendo:

2  Esta será a lei do leproso no dia da sua purificação: será levado ao sacerdote,

3  E o sacerdote sairá fora do arraial, e o examinará, e eis que, se a praga da lepra do leproso for sarada,

4  Então o sacerdote ordenará que por aquele que se houver de purificar se tomem duas aves vivas e limpas, e pau de cedro, e carmesim, e hissopo.

5  Mandará também o sacerdote que se degole uma ave num vaso de barro sobre águas vivas,

6  E tomará a ave viva, e o pau de cedro, e o carmesim, e o hissopo, e os molhará, com a ave viva, no sangue da ave que foi degolada sobre as águas correntes.

7  E sobre aquele que há de purificar-se da lepra espargirá sete vezes; então o declarará por limpo, e soltará a ave viva sobre a face do campo.

8  E aquele que tem de purificar-se lavará as suas vestes, e rapará todo o seu pêlo, e se lavará com água; assim será limpo; e depois entrará no arraial, porém, ficará fora da sua tenda por sete dias;

9  E será que ao sétimo dia rapará todo o seu pêlo, a sua cabeça, e a sua barba, e as sobrancelhas; sim, rapará todo o pêlo, e lavará as suas vestes, e lavará a sua carne com água, e será limpo,

10  E ao oitavo dia tomará dois cordeiros sem defeito, e uma cordeira sem defeito, de um ano, e três dízimas de flor de farinha para oferta de alimentos, amassada com azeite, e um logue de azeite;

11  E o sacerdote que faz a purificação apresentará o homem que houver de purificar-se, com aquelas coisas, perante o Senhor, à porta da tenda da congregação.

12  E o sacerdote tomará um dos cordeiros, e o oferecerá por expiação da culpa, e o logue de azeite; e os oferecerá por oferta movida perante o Senhor.

13  Então degolará o cordeiro no lugar em que se degola a oferta da expiação do pecado e o holocausto, no lugar santo; porque quer a oferta da expiação da culpa como a da expiação do pecado é para o sacerdote; coisa santíssima é.