Tendo Jesus dito isto, turbou-se em espírito, e afirmou, dizendo: Na verdade, na verdade vos digo que um de vós me há de trair (João 13:21).

O traidor

Aqui o Senhor Jesus falava sobre Judas Iscariotes, o traidor, um dos mais sombrios personagens de toda a Bíblia. É impressionante o fato dele ter andado com o Senhor Jesus por três anos e meio, testemunhado Seus milagres e ouvido Suas palavras e não ter mudado de vida. Ele permaneceu o mesmo: uma pessoa infame. O Senhor o conhecia, e ainda assim lhe mostrou todo o Seu amor. A ele foi confiado a administração do dinheiro, e Judas se aproveitou disso. Esqueceu-se de que nada fica oculto aos olhos do Senhor.

Então veio a cena final. O Senhor Jesus Se sentou com Seus discípulos. Judas ainda estava presente. O Senhor falou com a voz embargada pela emoção sobre aquele que iria entregá-Lo para os inimigos. Os outros ficaram perplexos, mas Judas sabia que Jesus conseguia ver além dele. Até então, ele havia feito o papel de enganador. Mas Cristo tentou pela última vez tocar o coração de Seu discípulo. Em vão.

Como pode alguém ser tão insensível a esse tipo de amor! Mas Judas não foi o único. Antes da instituição da Ceia, ele deixou o cenáculo – talvez por temer que as coisas ficassem pior – para se encontrar com os líderes religiosos em Jerusalém a fim de acertar os detalhes da traição. O preço foi ínfimo.

Extraído do devocional “Boa Semente” – literatura@terra.com.br

Anúncios
%d blogueiros gostam disto: