Levítico 26:34-46 (leia aqui) Os direitos de Deus serão reconhecidos de uma maneira ou de outra. Se a nação não observar o sábado dos anos prescrito no capítulo 25, o Senhor irá lhes obrigar a fazer isso, arrancando-os à força da terra que é dEle. Por assim dizer, Israel não cumprirá as condições de arrendamento impostas pelo Proprietário das terras. E essa será uma das razões para o cativeiro da Babilônia (leia 2 Crônicas 36:20-21). As conseqüências do pecado de Israel de fato serão terríveis. Deus é mais severo com Seu povo do que é com as outras nações. A responsabilidade deles certamente é muito maior. Os oráculos divinos lhes foram confiados. Eles estão em um relacionamento com o verdadeiro Deus cujo nome, através deles, é blasfemado entre os gentios (Romanos 3:2; 2:24). Mas se Deus tem sido mais exigente com Israel do que com as nações pagãs, você não acha que Ele teria de ser ainda mais com aqueles que, como nós, têm Sua Palavra nas mãos, ou que foram criados por pais cristãos? “Àquele a quem muito foi dado, muito lhe será exigido” (Lucas 12:48). Observe também que a confissão dos pecados (v. 40) e a aceitação da punição (v. 43) eram as condições para a restauração.

Levítico 26

34  Então a terra folgará nos seus sábados, todos os dias da sua assolação, e vós estareis na terra dos vossos inimigos; então a terra descansará, e folgará nos seus sábados.

35  Todos os dias da assolação descansará, porque não descansou nos vossos sábados, quando habitáveis nela.

36  E, quanto aos que de vós ficarem, eu porei tal pavor nos seus corações, nas terras dos seus inimigos, que o ruído de uma folha movida os perseguirá; e fugirão como quem foge da espada; e cairão sem ninguém os perseguir.

37  E cairão uns sobre os outros como diante da espada, sem ninguém os perseguir; e não podereis resistir diante dos vossos inimigos.

38  E perecereis entre as nações, e a terra dos vossos inimigos vos consumirá.

39  E aqueles que entre vós ficarem se consumirão pela sua iniqüidade nas terras dos vossos inimigos, e pela iniqüidade de seus pais com eles se consumirão.

40  Então confessarão a sua iniqüidade, e a iniqüidade de seus pais, com as suas transgressões, com que transgrediram contra mim; como também eles andaram contrariamente para comigo.

41  Eu também andei para com eles contrariamente, e os fiz entrar na terra dos seus inimigos; se então o seu coração incircunciso se humilhar, e então tomarem por bem o castigo da sua iniqüidade,

42  Também eu me lembrarei da minha aliança com Jacó, e também da minha aliança com Isaque, e também da minha aliança com Abraão me lembrarei, e da terra me lembrarei.

43  E a terra será abandonada por eles, e folgará nos seus sábados, sendo assolada por causa deles; e tomarão por bem o castigo da sua iniqüidade, em razão mesmo de que rejeitaram os meus juízos e a sua alma se enfastiou dos meus estatutos.

44  E, demais disto também, estando eles na terra dos seus inimigos, não os rejeitarei nem me enfadarei deles, para consumi-los e invalidar a minha aliança com eles, porque eu sou o Senhor seu Deus.

45  Antes por amor deles me lembrarei da aliança com os seus antepassados, que tirei da terra do Egito perante os olhos dos gentios, para lhes ser por Deus. Eu sou o Senhor.

46  Estes são os estatutos, e os juízos, e as leis que deu o Senhor entre si e os filhos de Israel, no monte Sinai, pela mão de Moisés.

« »