Almeida Corrigida e Revisada Fiel Levítico 7 22 Depois falou o Senhor a Moisés, dizendo: 23 Fala aos filhos de Israel, dizendo: Nenhuma gordura de boi, nem de carneiro, nem de cabra comereis; 24 Porém pode-se usar da gordura de corpo morto, e da gordura do dilacerado por feras, para toda a obra, mas de nenhuma maneira a comereis; 25 Porque qualquer que comer a gordura do animal, do qual se oferecer ao Senhor oferta queimada, a pessoa que a comer será extirpada do seu povo. 26 E nenhum sangue comereis em qualquer das vossas habitações, quer de aves quer de gado. 27 Toda a pessoa que comer algum sangue, aquela pessoa será extirpada do seu povo. 28 Falou mais o Senhor a Moisés, dizendo: 29 Fala aos filhos de Israel, dizendo: Quem oferecer ao Senhor o seu sacrifício pacífico, trará a sua oferta ao Senhor do seu sacrifício pacífico. 30 As suas próprias mãos trarão as ofertas queimadas do Senhor; a gordura do peito com o peito trará para movê-lo por oferta movida perante o Senhor. 31 E o sacerdote queimará a gordura sobre o altar, porém o peito será de Arão e de seus filhos. 32 Também a espádua direita dareis ao sacerdote por oferta alçada dos vossos sacrifícios pacíficos. 33 Aquele dos filhos de Arão que oferecer o sangue do sacrifício pacífico, e a gordura, esse terá a espádua direita para a sua porção; 34 Porque o peito movido e a espádua alçada tomei dos filhos de Israel dos seus sacrifícios pacíficos, e os dei a Arão, o sacerdote, e a seus filhos, por estatuto perpétuo dos filhos de Israel. 35 Esta é a porção de Arão e a porção de seus filhos das ofertas queimadas do Senhor, desde o dia em que ele os apresentou para administrar o sacerdócio ao Senhor. 36 O que o Senhor ordenou que se lhes desse dentre os filhos de Israel no dia em que os ungiu; estatuto perpétuo é pelas suas gerações. 37 Esta é a lei do holocausto, da oferta de alimentos, e da expiação do pecado, e da expiação da culpa, e da oferta das consagrações, e do sacrifício pacífico, 38 Que o Senhor ordenou a Moisés no monte Sinai, no dia em que ordenou aos filhos de Israel que oferecessem as suas ofertas ao Senhor, no deserto de Sinai.

Todo Dia Com as Escrituras

Levítico 7:22-38 (leia aqui)

Como uma figura da comunhão do crente com Deus e com seus irmãos, o sacrifício pacífico era a única oferta na qual cada parte recebia sua porção. Deus tinha Sua própria porção, que era a gordura e o sangue, que nos traz à mente Seus direitos à nossa devoção e à totalidade de nossa vida. O peito movido e a coxa da oferta eram reservados a Arão e seus filhos (V. 34), figuras para o redimido da afeição e da força que pertencem a Cristo e aos Seus. Por fim, o próprio adorador encontrava o seu alimento ali. E observe que a comida dos sacerdotes dependia dos sacrifícios pacíficos. A energia espiritual que capacita o crente a militar na obra do Senhor flui da comunhão que ele desfruta com o Pai. As duas epístolas aos coríntios confirmam isso. A primeira epístola trata sobre a comunhão, a segunda tem como assunto o ministério. Nosso serviço somente será útil e abençoado à medida que somos alimentados pelo perfeito sacrifício pacífico e, seguindo Seu exemplo, quando entregamos nosso corpo como sacrifício vivo, santo e aceitável a Deus (Romanos 12:1). Esse é o segredo, de acordo como mesmo capítulo, para experimentar “a boa, agradável e perfeita vontade de Deus” e, conseqüentemente, ser capaz de executá-la com alegria.

« »
%d blogueiros gostam disto: