E, como desceram a ele, Eliseu orou ao Senhor e disse: Fere, peço-te, esta gente de cegueira. E feriu-a de cegueira, conforme a palavra de Eliseu.

2 Reis 6:18-33 (leia aqui)

 

Três vezes neste capítulo, em resposta às orações do profeta, olhos são abertos (vv. 17, 20), ou, ao contrário, são cegados (v. 18). Peçamos ao Senhor para abrir nossos olhos a fim de que não percamos a visão, como o servo de Eliseu, do poder que está à nossa disposição. “Elevo os olhos para os montes: de onde me virá o socorro? O meu socorro vem do Senhor” (Salmo 121:1-2). Elias foi um profeta apenas de julgamento. Eliseu teve o privilégio de usar uma arma ainda mais eficiente: a graça. Ele demonstrou misericórdia para com seus inimigos e venceu o mal com o bem. Nossos pensamentos se voltam para Jesus. Ele usou habilmente tanto o poder quanto a graça. Após ter feito com uma única palavra cair no chão Seus perseguidores, Ele curou o servo cuja orelha Pedro cortara (João 18:6; Lucas 22:51).

 

Essa grande festa nos remete à “grande ceia” da graça (Lucas 14:17). Deus convida até Seus inimigos para o banquete.

 

Infelizmente, o generoso ato de Eliseu não teve resposta! Os sírios sitiaram Samaria e causaram uma fome com pavorosas conseqüências. Porém o Senhor utilizaria esse evento para demonstrar ao mesmo tempo Seu poder e Sua graça.

Anúncios
%d blogueiros gostam disto: