O [homem] interior, contudo, se renova de dia em dia (2 Coríntios 4:16).

Unidos a Cristo (2)

O seguinte exemplo permitirá compreendermos melhor nossa união com Cristo: uma árvore frutífera silvestre produz frutos de pouco valor e às vezes não comestíveis. Porém, se lhe cortam os ramos a curta distância do tronco e em lugar deles se enxertam pedaços de ramos de uma árvore cultivada, os ramos nela inseridos vão crescer, e a árvore silvestre passará a produzir segundo a nova natureza do enxerto.

Precisamos crer que temos sido unidos a Cristo em Sua morte e ressurreição. “Assim também vós considerai-vos como mortos para o pecado, mas vivos para Deus em Cristo Jesus nosso Senhor” (Romanos 6:11). Depois, é preciso demonstrar o que somos em Cristo ou, como diz o apóstolo Paulo, andar em novidade de vida (v. 4). Efésios 4:22-24 descreve essa transformação: “Quanto ao trato passado, vos despojeis do velho homem, que se corrompe pelas concupiscências do engano”. “Despojeis”: o tempo verbal no grego indica uma ação que aconteceu uma vez no passado. Já nos despojamos do que éramos por natureza, embora a natureza pecaminosa ainda esteja no crente. A contrapartida é nos vestir do “novo homem, que segundo Deus é criado em verdadeira justiça e santidade”. Vestir-nos do novo homem também é um fato realizado no momento de nossa conversão.

Por outro lado, ser renovado em nossa mente é um ato contínuo (v. 23). A cada dia o entendimento, fonte de nossos pensamentos, precisa ser renovado através da comunhão com Deus, pela ação da Palavra e do Espírito Santo.

(continua)

Extraído do devocional “