E olhei, e eis que estava no meio do trono e dos quatro animais viventes e entre os anciãos um Cordeiro, como havendo sido morto (Apocalipse 5:6).

O temor reverente do Senhor

O Espírito de Deus aqui enfatiza que uma Pessoa, chamada o Cordeiro de Deus, é a atração central de um objeto em particular: o trono. O Cordeiro está “no meio do trono”.

Cercando o Cordeiro e o trono vemos os quatro seres viventes e os vinte e quatro anciãos lançando suas coroas aos pés do Senhor. Que cena sublime! Todas as atenções se voltam para o Cordeiro “no meio do trono”.

O que o Espírito de Deus deseja nos mostrar através dessa expressão? O Cordeiro não é apenas o centro das honras diante do trono de Deus; Ele é o próprio centro de todos os planos divinos.

Esse Cordeiro “como havendo sido morto” está prestes a assumir todo o poder nos céus e na terra, ou seja, o reinado da justiça de Deus sobre toda a criação. A cruz jamais será esquecida. Ela silenciará todos os adversários e será motivo de eterna adoração para os redimidos.

“Eis que estás entronizado lá no trono divinal, todo o mal na cruz venceste com vitória triunfal. Desde a obra consumada, cantam multidões sem par: ‘Ao Cordeiro vamos dar toda honra e majestade, pois és digno, ó Vencedor, Tu somente, ó Redentor!’ “

(Hinos Espirituais, hino 19, estrofe 3)

Extraído do devocional “