Nicodemos, que era um deles (o que de noite fora ter com Jesus), disse-lhes: Porventura condena a nossa lei um homem sem primeiro o ouvir e ter conhecimento do que faz? (João 7:50-51).

Nicodemos (2)

A segunda vez que encontramos Nicodemos é no capítulo 7 do Evangelho de João. Os fariseus e os sacerdotes tinham enviado oficiais a fim de prender Jesus em uma das festas que aconteciam em Jerusalém (v. 32). Mas falharam em suas intenções, pois os oficiais não cumpriram a ordem recebida e quando perguntados sobre o motivo, responderam: “Nunca homem algum falou assim como este homem” (v. 46).

Aqueles servos não puderam negar a impressão de que o Senhor Jesus era bem mais do que os fariseus pensavam. Todo desprezo que os fariseus sentiam ficou evidente na pergunta: “Também vós fostes enganados? Creu nele porventura algum dos principais ou dos fariseus? Mas esta multidão, que não sabe a lei, é maldita” (vv. 47-49).

Para a surpresa deles, Nicodemos interveio a favor do Senhor, ainda que hesitante: “Porventura condena a nossa lei um homem sem primeiro o ouvir e ter conhecimento do que faz?”

Nicodemos então percebeu que todo aquele que deseja ficar ao lado do Senhor Jesus tem de compartilhar de Sua rejeição, pois seus companheiros também o reprovaram: “És tu também da Galiléia? Examina, e verás que da Galiléia nenhum profeta surgiu” (v. 52).

Mais tarde, a vida de Nicodemos mostra como a Pessoa de Jesus Cristo causou tão profunda impressão nele a ponto de ser capaz de suportar a zombaria e se tornar um convicto seguidor de do Senhor Jesus.

(continua)

Extraído do devocional “