Visto que temos um grande sumo sacerdote, Jesus, Filho de Deus, que penetrou nos céus, retenhamos firmemente a nossa confissão (Hebreus 4:14).

Ele sofreu as nossas dores

Temos um Sumo Sacerdote que penetrou nos céus, o Senhor Jesus. Ele foi tentado em todas as coisas como nós, mas nunca pecou, a fim de que pudesse compreender nossas falhas. A Palavra de Deus lança luz sobre nossos pensamentos, nos julga e discerne o que há em nosso coração. No entanto, Deus não compartilha da natureza pecaminosa que produz tais coisas. Porém, no que se refere à nossa fraqueza, o Senhor Jesus sabe por experiência o que sentimos.

É claro que Cristo não tinha desejos maus. Ele foi tentado de todas as maneiras, e não pecou. Nele não havia como o pecado se instalar. Eu não quero nenhuma compaixão pelo pecado que habita em mim; eu o detesto e quero que seja julgado severamente. Isso é o que a Palavra faz. Eu procuro compreensão por causa de minhas fraquezas e dificuldades, e encontro isso no sacerdócio de Cristo.

Para que alguém me compreenda não é necessário que tenha os mesmos sentimentos que eu – pelo contrário, quando estou sofrendo não quero me apoiar em quem está sofrendo também. Mas é necessário ter uma natureza capaz de sondar a dor alheia para que eu possa me compadecer dos outros.

Esse foi o caso do Senhor Jesus quando realizou Seu sacerdócio. Ele ficou fora do domínio do pecado, mas entrou em nossa humanidade. Ele experimentou provações que todos os filhos de Deus experimentam, mas em um nível mais profundo do que qualquer ser humano.

Ele experimentou! Ele compreende! Ele ouve! Ele sabe! Basta, pois, nos aproximarmos “com confiança ao trono da graça, para que possamos alcançar misericórdia e achar graça, a fim de sermos ajudados em tempo oportuno” (Hebreus 4:16).

Extraído do devocional “