E na igreja que estava em Antioquia havia alguns profetas e doutores, a saber: Barnabé e Simeão chamado Níger, e Lúcio, cireneu, e Manaém, que fora criado com Herodes o tetrarca (Atos 13:1).

Manaém e Herodes

Dois nomes. O primeiro praticamente desconhecido. O segundo, um personagem famoso da História. O próprio Deus chama a atenção para esses dois homens em um único versículo da Bíblia. Manaém era um mestre na igreja de Antioquia. Ele tinha recebido Jesus Cristo como seu Senhor e Salvador e aprendeu a amá-Lo. Então Deus fez da vida dele um instrumento de bênção naquela igreja recém-formada.

E quanto a Herodes? Ele havia conhecido o Filho de Deus pessoalmente. Em Lucas 23 lemos que o Senhor foi trazido à sua presença como criminoso. O versículo 11 declara: “E Herodes, com os seus soldados, desprezou-o e, escarnecendo dele, vestiu-o de uma roupa resplandecente e tornou a enviá-lo a Pilatos”. Aqui não eram os soldados que O interrogavam, mas o próprio Herodes. E por Jesus não ter feito nenhum milagre, como Herodes esperava, sua sede por divertimento não foi satisfeita. Então desprezou o Senhor Jesus.

Querido leitor, qual é a sua posição em relação ao Senhor Jesus? Você segue o exemplo de Manaém ou de Herodes? Um foi usado como bênção para o povo de Deus. O outro desprezou o único que poderia salvá-lo do julgamento vindouro.

“Te tenho proposto a vida e a morte, a bênção e a maldição; escolhe pois a vida” (Deuteronômio 30:19). Manaém e Herodes foram defrontados com essa escolha e cada um fez a sua opção. Agora cabe a cada um de nós tomar uma decisão, pois o próprio Deus coloca essa questão diante de todos os seres humanos que habitam esse planeta. Não há como escapar dela.

Extraído do devocional “