O presbítero à senhora eleita e aos seus filhos, a quem eu amo na verdade e não somente eu, mas também todos os que conhecem a verdade,

2 João 1-13

Depois de ter revelado as características da verdade em sua primeira epístola, o apóstolo continua a nos mostrar, em duas curtas epístolas, essa verdade na prática. Nesta epístola ele já não escolhe o exemplo de um pai na fé (1 João 2:13), mas de uma senhora cristã com seus filhos, dos quais alguns, para sua alegria, andavam na verdade. Caros jovens cristãos, saibam que representa uma grande alegria para aqueles que os amam vê-los não só conhecer, mas também andar segundo os ensinamentos da Palavra (v. 4; 3 João 4). A conduta dos filhos constitui a prova mais cabal de que um lar cristão é governado pela verdade. Numa época em que há tanta corrupção, o lar é o lugar que resta para a criança poder crescer protegida da sujeira do mundo. Mas virão ocasiões em que a verdade terá de ser defendida contra os inimigos de fora (v. 10; Atos 20:30). O verdadeiro amor nos obriga a não receber a esses indivíduos. Toleraríamos a um visitante que viesse nos dizer mentiras acerca de nossa mãe ou de alguém a quem queremos bem? A senhora crente e seus filhos convertidos são instados aqui a não discutirem com essa gente, … mas a fechar-lhes a porta. A verdade é o nosso maior tesouro. Não façamos pouco caso dela (Provérbios 23:23).

Extraído do “Guia Devocional do Novo Testamento” – literatura@terra.com.br

Anúncios
%d blogueiros gostam disto: