Esforça-te e tem bom ânimo, porque tu farás a este povo herdar a terra que jurei a seus pais lhes daria (Josué 1:6).

Meditações sobre o livro de Josué (Leia Josué 1:1-18)

No livro de Josué, entramos na terra prometida com o povo de Israel para tomar posse dela. Um novo líder substitui Moisés: Josué, a quem já conhecemos porque o vimos em sua juventude como um guerreiro (Êxodo 17:9), um discípulo (Êxodo 33:11), um servo (Números 11:28), uma testemunha (Números 14:6). Após longos anos de treinamento no deserto, agora ele é chamado para uma posição de tremenda responsabilidade. Ao enfrentar a tarefa, ele é encorajado novamente pelo Senhor (vv. 6,7,9) e pelos seus irmãos (v. 18) com a exortação: “Não cesses de falar deste Livro da Lei; antes, medita nele dia e noite, para que tenhas cuidado de fazer segundo tudo quanto nele está escrito; então, farás prosperar o teu caminho e serás bem sucedido” (v. 8). Esse foi o segredo do sucesso espiritual dele… e nosso também.

O livro de Josué ilustra as verdades que são desenvolvidas em Efésios. Como os filhos de Israel que lutaram para conquistar Canaã, assim os crentes têm de travar batalhas espirituais para desfrutar dos lugares celestiais. E a mensagem para eles é a mesma dada a Josué: “Sede fortalecidos no Senhor… Estai, pois, firmes” (Efésios 6:10,14). Moisés representa Cristo liderando Seu povo para fora do mundo, mas Josué é um tipo do Espírito de Jesus (em hebraico, os nomes Josué e Jesus são iguais) que leva os crentes para os lugares celestiais.

Extraído do devocional “Boa Semente” – literatura@terra.com.br

Anúncios

O presbítero à senhora eleita e aos seus filhos, a quem eu amo na verdade e não somente eu, mas também todos os que conhecem a verdade,

2 João 1-13

Depois de ter revelado as características da verdade em sua primeira epístola, o apóstolo continua a nos mostrar, em duas curtas epístolas, essa verdade na prática. Nesta epístola ele já não escolhe o exemplo de um pai na fé (1 João 2:13), mas de uma senhora cristã com seus filhos, dos quais alguns, para sua alegria, andavam na verdade. Caros jovens cristãos, saibam que representa uma grande alegria para aqueles que os amam vê-los não só conhecer, mas também andar segundo os ensinamentos da Palavra (v. 4; 3 João 4). A conduta dos filhos constitui a prova mais cabal de que um lar cristão é governado pela verdade. Numa época em que há tanta corrupção, o lar é o lugar que resta para a criança poder crescer protegida da sujeira do mundo. Mas virão ocasiões em que a verdade terá de ser defendida contra os inimigos de fora (v. 10; Atos 20:30). O verdadeiro amor nos obriga a não receber a esses indivíduos. Toleraríamos a um visitante que viesse nos dizer mentiras acerca de nossa mãe ou de alguém a quem queremos bem? A senhora crente e seus filhos convertidos são instados aqui a não discutirem com essa gente, … mas a fechar-lhes a porta. A verdade é o nosso maior tesouro. Não façamos pouco caso dela (Provérbios 23:23).

Extraído do “Guia Devocional do Novo Testamento” – literatura@terra.com.br

E esta noticía ouviu-se na casa de Faraó: Os irmãos de José são vindos; e pareceu bem aos olhos de Faraó, e aos olhos de seus servos.

Gênesis 45:16-28 (leia aqui)

Pagando o mal com o bem: é o que José está fazendo com seus irmãos. É isso o que o Senhor nos ensina (Mateus 5:44), e este é o melhor caminho para ganhar o coração de alguém.

Os irmãos de José tinham pensado que deviam trazer o melhor que tinham (43:11), “um pouco de bálsamo,  um pouco de mel…” Mas agora eles podem ver quão insignificante era isto. O próprio Faraó prometeu a eles o melhor de toda a terra, dizendo-lhes ao mesmo tempo: “E não vos pese coisa alguma das vossas alfaias; porque o melhor de toda a terra do Egito será vosso” (v. 20). A presença do Senhor e o gozo de Sua glória estão diante de nós. As coisas terrenas rejeitadas por amor a Ele não são nada em comparação com tudo isso (vide Marcos 10:29-30). Nós também temos provado que Jesus está vivo e na glória, e que Ele está no céu nos esperando: Ele nos enviou o Espírito Santo, “o qual é o penhor da nossa herança” (Efésios 1:14).

Observe que José não dá a seus irmãos só uma terra para viver, mas tudo aquilo de que eles precisarão para a viagem. E os carros? Jesus levou tudo por nós. E a comida? Sua Palavra é a nossa comida. E as vestes? Cristo pode e deve ser visto em nós (Gálatas 3:27). Finalmente, a exortação daquele que conhece bem seus irmãos: “Não contendais pelo caminho” (v. 24). Não temos nós maior necessidade que eles de uma exortação como essa?

“Alegro-me nas tuas promessas, como quem acha grandes despojos.” (Salmo 119.162)

A alegria no Senhor não depende dos nossos sentimentos, pois nada é tão inconstante e volúvel como nossas emoções. O sentimento é a expressão da alegria ou tristeza da alma. Esta alegria imperfeita e instável deve se tornar perfeita e estável pela imutável alegria no Senhor. Tudo muda, mas Ele não muda nunca. Do Senhor está escrito: “Jesus Cristo ontem e hoje é o mesmo, e o será para sempre.” Se não recusamos a espada da Palavra de Deus, então também não rejeitamos a Jesus Cristo. Se permanecermos nEle, e nossa alegria será completa. Sua alma se elevará ao Senhor, e Sua alegria, Sua imutável e eterna alegria será tão forte em você que você poderá soltar gritos de júbilo: “A alegria do Senhor é a minha força.” Aquele que tem essa alegria do Senhor é independente dos sentimentos de uma maneira muito soberana, quer sejam alegres ou tristes as emoções do momento. Enquanto a alegria do Senhor nascer unicamente da nossa angústia interior, ela é totalmente independente das ameaças exteriores.

Extraído do livro “Pérolas Diárias” (de Wim Malgo)