E ordenou José, que enchessem os seus sacos de trigo, e que lhes restituíssem o seu dinheiro a cada um no seu saco, e lhes dessem comida para o caminho; e fizeram-lhes assim.

Gênesis 42:25-38 (leia aqui)

Pelo fato de José receber os seus irmãos asperamente, não queria dizer que ele planejava alguma vingança. Mas ele conhecia, por experiência, a maldade daqueles corações, e o propósito de seu coração era conduzi-los ao verdadeiro arrependimento. Com o fim de alcançar tal coisa, José usa, um após o outro, de severidade, de gentileza, de temor e encorajamento, de acusação e banquetes. Tudo isto é levado a cabo com grande sabedoria e nos mostra, a título de comparação, como o Senhor age quando Ele quer despertar o nosso coração e consciência. Às vezes Ele fala conosco “asperamente”.

As acusações que José faz são injustas. Seus irmãos não são espias. Mas eles sentem que Deus está lhes falando e lembram do pecado de que todos participaram e da injustiça imposta ao irmão.

Às vezes temos de nos submeter a alguma injustiça. Em vez de ficarmos irritados ou buscarmos justificar a nós mesmos, perguntemos o que Deus quer nos ensinar por meio destes dolorosos meios.

Também para Jacó tudo é levado a cabo para o seu bem, ainda que ele diga no versículo 36: “Todas estas coisas vieram sobre mim“. Ele terá de aprender que, se Deus é por ele, nada pode ser contra ele e que todas as coisas cooperam para o bem daqueles que amam a Deus (Romanos 8:28, 31). É desta forma, na verdade, que Deus o trará José de volta.

Anúncios
%d blogueiros gostam disto: