Esses, todavia, como brutos irracionais, naturalmente feitos para presa e destruição, falando mal daquilo em que são ignorantes, na sua destruição também hão de ser destruídos,

2 Pedro 2:12-22

Para derrubar a verdade estabelecida no capítulo 1, Satanás utiliza sempre os mesmos expedientes: quando este não consegue corromper a verdade, ele a nega abertamente, como veremos no capítulo 3. Seus instrumentos para desviar as almas são apresentados aqui sob a luz da verdade. Quão medonho e assustador é o retrato dos líderes religiosos em quem a perversão moral e os ensinamentos malignos andam de mãos dadas (vv. 12-17; Mateus 7:15). Homens que prometem a liberdade para outros, mas são eles próprios escravos das paixões e luxúrias mais desprezíveis (v. 19), pois “aquele que é vencido fica escravo do vencedor”. Somos realmente livres, libertos pelo Senhor (João 8:34-36; Isaías 49:24-25), ou estamos enlaçados por algum pecado inconfessável? O mundo é cativante, no sentido literal da palavra. Como um lamaçal (final do v. 22), ele atola os pés dos imprudentes que se aventuram por este caminho e contamina-lhes a alma (v. 20 menciona as contaminações do mundo).

O final do capítulo despedaça a ilusão daqueles que momentaneamente conseguiram controlar o cio do pecado através de um cristianismo meramente social ou intelectual. Transformação moral não é conversão.

Extraído do “Guia Devocional do Novo Testamento” – literatura@terra.com.br

Anúncios
%d blogueiros gostam disto: