O reino dos céus é semelhante ao homem, negociante, que busca boas pérolas; e, encontrando uma pérola de grande valor, foi, vendeu tudo quanto tinha, e comprou-a (Mateus 13:45-46).

A Igreja: uma pérola

No capítulo 13 de Mateus, o Senhor Jesus emprega uma ilustração da pérola preciosa para falar do conjunto e da unidade de todos os Seus resgatados. Essa pérola muito valiosa representa a Igreja, da qual todos os crentes desde Pentecostes fazem parte.

O que é uma pérola e qual a sua origem? Ela se forma em uma concha e surge a partir de um corpo estranho, um grão de areia, por exemplo, que penetra entre a ostra e a concha. O animal se defende desse “intruso” produzindo nácar e o cobrindo com várias camadas dessa substância. Assim, pouco a pouco, a pérola se forma.

Sempre as pérolas foram consideradas jóias valiosas. Ao contrário das pedras preciosas, a perola não precisa ser lapidada para manifestar sua beleza. Ela é obra de Deus, o Criador. Mãos humanas só poderiam danificá-la.

Que bela metáfora para a Igreja! O ser humano não é capaz de fazer nem de destruir essa maravilhosa unidade dos salvos. Sua verdadeira beleza será visível quando o Senhor Jesus vier arrebatá-la e se manifestar com ela em glória.

A concha com a pérola deve ser buscada no fundo do mar. É uma ilustração da maneira como tem sido arrancada do mar das nações para pertencer somente a Cristo.

Extraído do devocional “Boa Semente” – literatura@terra.com.br

Anúncios
%d blogueiros gostam disto: