Assim como, no meio do povo, surgiram falsos profetas, assim também haverá entre vós falsos mestres, os quais introduzirão, dissimuladamente, heresias destruidoras, até ao ponto de renegarem o Soberano Senhor que os resgatou, trazendo sobre si mesmos repentina destruição.

2 Pedro 2:1-11

Hoje em dia, seitas e heresias destruidoras têm surgido aos montes. Fomos advertidos, com antecedência, a respeito de seu aparecimento, para que não sejamos pegos de surpresa tampouco desanimemos por causa delas (v. 1). Elas fazem comércio com as almas dos homens (v. 3; final do versículo 13 de Apocalipse 18).

No capítulo 1, a perspectiva da glória vindoura é confirmada por um testemunho triplo: a visão da glória no monte santo, a palavra profética e finalmente a Estrela da Manhã nascida em nosso coração. Do mesmo modo, há três exemplos que testificam quanto à certeza do julgamento que sobrevirá ao mundo: o destino dos anjos caídos (Judas 6), o dilúvio (Mateus 24:36…) e a destruição de Sodoma e Gomorra (Judas 7). Todavia, mesmo no meio de uma geração incrédula, o Senhor conhece e livra aqueles que O temem (v. 9). A despeito de seu mundanismo, Ló foi um homem justo. O parêntese no versículo 8 mostra que Deus registra cada suspiro de Seu povo. Contudo, Ló poderia ter sido poupado de todos esses tormentos se soubesse, como sabia Abraão, apreciar a terra prometida. Viver de forma falsa e ambígua perante os homens é uma desgraça para o filho de Deus. Ló é a imagem de um crente salvo “como que através do fogo” (1 Coríntios 3:15). Sua entrada no reino não será amplamente suprida (1:11). Que o Senhor nos livre de ser iguais a Ló!

Extraído do “Guia Devocional do Novo Testamento” – literatura@terra.com.br

Anúncios
%d blogueiros gostam disto: