E levantou-se aquela mesma noite, e tomou as suas duas mulheres, e as suas duas servas, e os seus onze filhos, e passou o vau de Jaboque.

Gênesis 32:22-32 (leia aqui)

A história de Jacó registra uma segunda noite memorável. A luta de Jacó com o anjo é como um resumo de toda a sua vida passada. Ele sempre buscou as bênçãos mediante seus próprios esforços; opondo-se, desta forma, a Deus. Agora ele precisa constatar que a força do homem não pode triunfar nem prevalecer. Basta um simples toque de Deus (v. 25) e sua força é completamente destruída. Jacó agora é forçado a deixar de confiar em si mesmo. Ele está aprendendo a verdade fundamental da vida cristã: “quando estou  fraco, então, sou forte” (2 Coríntios 12:10). E é nesse momento que ele triunfa ao declarar pela fé: “Não te deixarei ir, se me não abençoares” (v. 26; Oséias 12:40). Esta é a vitória da oração! Jacó obtém a bênção na forma deste novo nome: Israel, o qual é tão importante nos conselhos de Deus, na Escritura e na história. Este nome nos fala de Cristo, o Vitorioso, o Príncipe e verdadeiro Israel de Deus.

Prezados cristãos, Deus quer nos tornar vitoriosos. Se Ele nos detém num caminho segundo nossa própria vontade e remove a nossa força carnal, é com a finalidade de nos conceder Seu poder.

Jacó sempre deveria lembrar-se de Peniel. Sua bengala continuamente o recordaria disto. A juntura de sua coxa fora deslocada, mas sua alma fora libertada (Romanos 7:24-25).

Anúncios
%d blogueiros gostam disto: