JACÓ também seguiu o seu caminho, e encontraram-no os anjos de Deus.

Gênesis 32:1-21 (leia aqui)

Hebreus 1:14 nos ensina que o serviço dos anjos acontece em favor dos crentes. Ele geralmente ocorre sem que estes últimos saibam disto. Mas quando Jacó estava deixando Canaã, Deus quis, de alguma maneira, apresentar-lhe aqueles que seriam usados para cuidar dele enquanto estivesse no exílio (28:12). Agora, por ocasião de seu regresso, os anjos de Maanaim dão as boas vindas ao patriarca na terra prometida. Mas Jacó não está em condições de se regozijar na bondade do Deus que ouviu o voto feito muito antes (28:20-21). Na verdade, seu coração não está livre do temor do homem. Embora não tenha mais Labão no seu encalço, Jacó ainda tem Esaú na sua frente e por isso treme diante da expectativa de encontrá-lo. Sim, Jacó havia recorrido à oração (vv. 9-12) mas, em seguida, tomou todas as precauções que se possa imaginar, como se de fato não cresse que Deus fosse capaz de livrá-lo. Não nos assemelhamos a ele algumas vezes? Observe também a atitude servil de Jacó (vv. 18, 20), embora as bênçãos de seu pai o tivessem colocado acima de seu irmão. Não teria sido melhor, em lugar de toda essa encenação, de todas essas prudentes arrumações, que Jacó fosse em frente de seu povo e, confiando em Deus, pedisse corajosamente perdão a seu irmão, a quem ele tinha ofendido?

Anúncios
%d blogueiros gostam disto: