Seja constante o amor fraternal.

Hebreus 13:1-16

O amor fraternal pode ser exercido de várias formas: a hospitalidade que abençoa quem a pratica (v. 2); a empatia que se identifica com os que sofrem (v. 3; 10:34); a beneficência na qual Deus tem prazer (v. 16).

Infelizmente, a avareza tem muitas faces. Podemos amar não somente o dinheiro que possuímos, mas aquele que esperamos possuir. Aprendamos a estar contentes com o que temos agora. E para as necessidades e os perigos de amanhã, apoiemo-nos “confiadamente” na fidelidade do Senhor (v. 6; Mateus 6:31-34). Ele, que é nosso Ajudador, não muda. “Tu, porém, és o mesmo” (1:12). O versículo 8 do capítulo 13 conclui com uma afirmação de insondável alcance: “Jesus Cristo, ontem e hoje, é o mesmo e o será para sempre”. Se Ele é suficiente para nós, as “doutrinas várias e estranhas” do versículo 9 não nos enredarão. Estejamos prontos a abandonar o acampamento da mera formalidade religiosa (Êxodo 33:7) e ir até o Senhor Jesus somente, ao lugar onde Sua presença está prometida. Ele ofereceu o supremo sacrifício. Nosso privilégio, em troca, é oferecer a Deus, não apenas aos sábados, mas continuamente, um sacrifício de louvor, o fruto de nossos lábios que primeiro amadurece em nosso coração (Salmo 45:1).

Extraído do “Guia Devocional do Novo Testamento” – literatura@terra.com.br

Anúncios
%d blogueiros gostam disto: