Ora, na vossa luta contra o pecado, ainda não tendes resistido até ao sangue

Hebreus 12:4-17

No seio familiar, a criança está sujeita à disciplina paterna que pode causar-lhe algumas lágrimas, mas quando for adulta certamente agradecerá a seus pais por tal correção. Se somos filhas e filhos de Deus, é impossível não experimentarmos Sua disciplina (v. 8), pois o Deus santo deseja que Seus filhos correspondam à Sua própria imagem (v. 10).

Contudo, esta disciplina poderia levar-nos a duas reações opostas: primeiramente, poderíamos desprezá-la e não lhe dar o devido valor. Porém, temos de ser “exercitados” nela ; ou seja, temos de nos julgar diante de Deus, indagando o motivo pelo qual o Senhor permitiu tal provação (Jó 5:17). A outra reação perigosa é o desânimo (v. 5; Efésios 3:13). Se este for o caso, lembremo-nos como o crente sob disciplina é chamado: “porque o Senhor corrige a quem ama” (v. 6). Sigamos “a paz com todos”, desde que não tenhamos de abrir mão da santidade (v. 14). Não esqueçamos que nós mesmos somos objeto da graça e arranquemos definitivamente de nosso coração as raízes de amargura (literalmente “germes de veneno”). A princípio ocultas, elas mais cedo ou mais tarde se manifestarão se não forem julgadas imediatamente (Deuteronômio 29:18).

Esaú, que não pôde ter seu nome junto ao de outros membros de sua família no capítulo anterior, é mencionado aqui para vergonha eterna. Que nenhum de nós seja igual a ele!

Extraído do “Guia Devocional do Novo Testamento” – literatura@terra.com.br

Anúncios
%d blogueiros gostam disto: