O homem que muitas vezes repreendido endurece a cerviz, de repente será destruído sem que haja remédio (Provérbios 29:1).

Tudo sob controle?

Quantas pessoas já experimentaram a verdade desse provérbio! São forçadas a admitir que não deram ouvidos a conselhos e escolheram o erro. Agora se encontram em uma situação para a qual não há saída.

Pode ser, por exemplo, a situação de alguém que destruiu sua família e negócios tentando obter lucros por meios ilícitos. Talvez tenha sido advertido por amigos, mas não os ouviu. Ignorou todos os sinais do desastre vindouro, pensando que tudo estava sob controle.

Aplique isso à eternidade! Aqui ainda podemos colocar as coisas em ordem e começar de novo. Contudo, quando nosso tempo de morrer chegar, isso não será mais possível. A questão “Onde vou passar a eternidade?” já terá sido decidida nesta vida.

Quantos têm ouvido essa verdade! A família e os amigos os advertem; eles já conhecem o Evangelho da salvação em Jesus Cristo. Têm sido encorajados a recebê-Lo como Salvador, mas insistem em achar que tudo está sob controle e há outras coisas mais importantes.

É pura estupidez ignorar as verdades divinas. A exortação de Hebreus 12:25 é bem clara: “Vede que não rejeiteis ao que fala; porque, se não escaparam aqueles que rejeitaram o que na terra os advertia, muito menos nós, se nos desviarmos daquele que é dos céus”.

O maior erro de todos é pensar que você tem tudo sob controle no que se refere à eternidade. Mas glória a Deus que ainda é tempo da graça para nós. Por meio dela, você, leitor, pode encontrar a salvação pela fé no Senhor Jesus Cristo.

Extraído do devocional “Boa Semente” – literatura@terra.com.br

Anúncios

Ora, na vossa luta contra o pecado, ainda não tendes resistido até ao sangue

Hebreus 12:4-17

No seio familiar, a criança está sujeita à disciplina paterna que pode causar-lhe algumas lágrimas, mas quando for adulta certamente agradecerá a seus pais por tal correção. Se somos filhas e filhos de Deus, é impossível não experimentarmos Sua disciplina (v. 8), pois o Deus santo deseja que Seus filhos correspondam à Sua própria imagem (v. 10).

Contudo, esta disciplina poderia levar-nos a duas reações opostas: primeiramente, poderíamos desprezá-la e não lhe dar o devido valor. Porém, temos de ser “exercitados” nela ; ou seja, temos de nos julgar diante de Deus, indagando o motivo pelo qual o Senhor permitiu tal provação (Jó 5:17). A outra reação perigosa é o desânimo (v. 5; Efésios 3:13). Se este for o caso, lembremo-nos como o crente sob disciplina é chamado: “porque o Senhor corrige a quem ama” (v. 6). Sigamos “a paz com todos”, desde que não tenhamos de abrir mão da santidade (v. 14). Não esqueçamos que nós mesmos somos objeto da graça e arranquemos definitivamente de nosso coração as raízes de amargura (literalmente “germes de veneno”). A princípio ocultas, elas mais cedo ou mais tarde se manifestarão se não forem julgadas imediatamente (Deuteronômio 29:18).

Esaú, que não pôde ter seu nome junto ao de outros membros de sua família no capítulo anterior, é mencionado aqui para vergonha eterna. Que nenhum de nós seja igual a ele!

Extraído do “Guia Devocional do Novo Testamento” – literatura@terra.com.br

Então responderam Labão e Betuel, e disseram: Do Senhor procedeu este negócio; não podemos falar-te mal ou bem.

Gênesis 24:50-67 (leia aqui)

Os termos com que o servo de Abraão descreveu seu senhor e as riquezas das quais ele trouxe amostras, tocaram o coração de Rebeca. Ele está decidida; ela irá (v. 58).

Você que tem ouvido muito a respeito do Senhor, que tem tido a oportunidade de desfrutar dos tesouros de Sua graça já na casa de seus pais: você já decidiu por Ele em seu coração? Hoje lhe está sendo feita a proposta: Você irá? Não é para daqui a alguns dias ou mesmo para amanhã que o Espírito de Deus está instando com você a dar este passo: é para hoje!

Agora começa para Rebeca uma longa viagem de travessia pelo deserto. Mediante a palavra do servo ela deixou tudo, e ele agora irá conduzi-la. É assim que a Igreja, a noiva de Cristo, segue seu caminho por este mundo, que para ela é um deserto com sofrimentos e fadiga. Entrementes o Espírito Santo ocupa seu coração com o Amado que ela ainda não viu, mas que está vindo ao seu encontro. Que momento especial será este para Sua santa Igreja, quando o Senhor a introduzir nos lugares celestiais! Que momento será este para Ele também! Rebeca veio ser a mulher de Isaque e ele a amou daquele momento em diante. Mas Cristo já ama agora a Sua Igreja. E o Seu coração, muito mais que o nosso, está esperando por esse bendito momento, para que obtenha eterna satisfação.

“Dou graças ao meu Deus por tudo que recordo de vós, fazendo sempre, com alegria, súplicas por todos vós, em todas as minhas orações, pela vossa cooperação no evangelho.” (Filipenses 1.3-5)

Embora Paulo se encontrasse numa situação muito difícil, seus pensamentos acerca dos irmãos na fé eram puros e bons. Como motivo, ele menciona: “…pela vossa cooperação no evangelho.” Esse andar lado a lado, essa comunhão uns com os outros produz um pensamento recíproco abençoado. Certamente é bom nos perguntarmos sempre: o que penso sobre os outros? Pois os pensamentos são um poder. Embora não se possa ouvir os pensamentos, pode-se senti-los. Por isso, o diabo procura sempre provocar a desunião entre os filhos de Deus e procura separá-los para que falte este poder, para que não exista o abençoado pensar um no outro e para que não flua o amor de Jesus de coração a coração. Seus pensamentos abençoam a cada um dos que o cercam? Você de fato ama a todos eles? O crente carnal é absorvido pelos pensamentos sobre sua própria situação, mas os pensamentos abençoados do cristão espiritual sobre seu próximo produzem libertação interior dos próprios problemas. Essas são pessoas abençoadas – sem depender dos problemas da própria vida, elas conseguem abençoar aos outros em pensamento! Nisso reside o misterioso poder do corpo de Cristo! Um abençoando o outro!

Extraído do livro “Pérolas Diárias” (de Wim Malgo)