E FOI a vida de Sara cento e vinte e sete anos; estes foram os anos da vida de Sara.

Gênesis 23:1-20 (leia aqui)

Uma sepultura era tudo o que Abraão possuiria na terra de Canaã, apesar de esta terra lhe ter sido prometida. Ao comprar o campo e a caverna de Macpela para sepultar Sara, o homem de Deus confirma a sua firme esperança da ressurreição. Para ele, Sara continua vivendo com uma vida divina. Por isso é necessário assegurar-se de todos os direitos sobre o lugar onde o corpo dela, que há de ressuscitar, será colocado. O fato de a caverna ter sido comprada pelo pleno preço nos recorda que os direitos sobre a morte foram plenamente adquiridos pela cruz de Cristo; é uma alusão à morte que foi vencida e à certeza da ressurreição de todos os crentes, que há de acontecer em breve.

No capítulo 14 Abraão recusou os presentes do rei de Sodoma, e aqui também ele não fica devendo obrigações a ninguém. Abraão insiste em pagar o valor devido pelo campo, sem pechinchas. Em todos os contatos de um cristão com as pessoas do mundo, ele deve ser reconhecido por sua correção e absoluta honestidade. No Novo Testamento somos exortados a não ficar devendo coisa alguma a ninguém (Romanos 13:8) e a portar-nos “com dignidade para com os de fora” (1 Tessalonicenses 4:12), e finalmente a “procedermos honestamente, não só perante o Senhor, como também diante dos homens” (2 Coríntios 8:21; veja também Romanos 12:17).

Anúncios
%d blogueiros gostam disto: