Vendo, pois, a rainha de Sabá toda a sabedoria de Salomão, e a casa que edificara, e a comida da sua mesa, e o assentar de seus servos, e o estar de seus criados, e as vestes deles, e os seus copeiros, e os holocaustos que ele oferecia na casa do Senhor, ficou fora de si (1 Reis 10:4-5).

O verdadeiro Salomão

A glória do reinado de Salomão foi insuperável, não por causa da grandeza dele (pois, apesar de toda sabedoria e riqueza, Salomão foi um homem com sérios problemas morais), mas porque agradou a Deus fazer desse homem um símbolo de Alguém infinitamente maior: o Senhor Jesus. A rainha de Sabá foi atraída pela reputação de Salomão, ligada ao Nome do Senhor, e veio testá-lo com perguntas difíceis.

Salomão respondeu a todas. Mas não foi isso que despertou a admiração dela: o esplendor sem igual da casa que ele construíra e a ordem de tudo o que viu a deixou sem fala.

Se aquela mulher ficou assim ao ver a glória de coisas terrenas que passaram, como nós, cristãos, devemos nos portar na presença do Senhor Jesus? A Bíblia nos ensina que Sua casa é feita de “pedras vivas”, ou seja, dos crentes judeus e não-judeus. Além disso, a ordem de Sua casa é maravilhosa: sem nenhuma organização ou planejamento humano, a ordem é mantida entre Seus servos. Ele lhes dá pão do céu para comerem através de Sua Palavra. Ele lhes dá roupas reais para vestirem (Isaías 61:10).

Toda a glória de Salomão já não existe mais. Porém, a glória do Rei dos reis jamais terá fim!

Extraído do devocional “Boa Semente” – literatura@terra.com.br

Anúncios
%d blogueiros gostam disto: