E O SENHOR visitou a Sara, como tinha dito; e fez o Senhor a Sara como tinha prometido.

Gênesis 21:1-21 (leia aqui)

A promessa de Deus é cumprida. “No tempo determinado” nasce Isaque. Ele é uma figura de Cristo em Seu caráter de Filho e herdeiro (Hebreus 1:2). Depois do riso de incredulidade de Abraão (17:17) e de Sara (18:12), temos o riso de alegria e gratidão de Sara. Ela até dá ao filho o nome Isaque, que significa riso (vv. 3, 6). Mas logo vem o riso caçoador de Ismael (v. 9). Ele é uma figura do homem “segundo a carne”, que nada pode compreender dos conselhos de Deus que se cumpriram em Cristo. Ismael, o filho da serva, é uma figura do homem sob o domínio da lei. Este não tem nenhum direito, quer à promessa, quer à herança.

O proceder de Sara parece duro; e pareceu “mui penoso aos olhos de Abraão”. Mas Deus aprova essa atitude, porque quer demonstrar nesta figura que a herança pertence somente a Cristo e que o homem, mediante suas obras, não tem parte alguma nela. Conforme explica a epístola aos Gálatas: os crentes são “filhos da promessa”. Tendo recebido a adoção, já não são mais escravos, mas filhos; e, como tais, herdeiros (Gálatas 4:6-7, 28).

Ainda assim a graça se ocupa com Agar e seu filho. Quando a se acaba água do odre, a qual simboliza os recursos humanos, Agar experimenta mais uma vez a libertação do Deus vivo, que já havia Se revelado a ela no capítulo 16. Ele é Aquele que até mesmo ouve a voz de uma criança (v. 17).

Anúncios
%d blogueiros gostam disto: