DEPOIS apareceu-lhe o Senhor nos carvalhais de Manre, estando ele assentado à porta da tenda, no calor do dia.

Gênesis 18:1-15 (leia aqui)

Deus honra a Abraão chamando-lhe Seu amigo (2 Crônicas 20:7; Isaías 41:8; Tiago 2:23). E por ser Seu amigo, Deus o visita e lhe comunica Suas intenções com respeito ao próprio Abraão (vv. 9-15) e para com o mundo (vv. 20-21; veja João 15:15). O patriarca replica com confiança e desembaraço porém em profundo respeito. O estado de seu coração é revelado pelo modo ávido e jubiloso com que recebe seus hóspedes celestiais; ele conhece seu Deus e experimentou que o Senhor é bondoso (1 Pedro 2:3). O Novo Testamento menciona várias pessoas que tiveram o privilégio de receber o Senhor Jesus em suas casas: Levi, Marta e Zaqueu (Lucas 5:29; 10:38; 19:5). E isso nos ensina sob quais condições podemos desfrutar da mesma intimidade. Obediência à Palavra do Senhor é a chave para que o nosso coração seja aberto a Ele (João 14:23). Abraão não é apenas um exemplo de comunhão com Deus, mas também do exercício da hospitalidade. O cristão é chamado a praticá-la sem murmuração (1 Pedro 4:9; Romanos 12:13; Hebreus 13:2). Que boas novas trazem os visitantes para Abraão e Sara: o anuncio da chegada de seu muito esperado herdeiro! Mas Sara duvida e ri. Para nós esta é a oportunidade de ouvirmos uma magnífica certificação: “Acaso, para o Senhor há coisa demasiadamente difícil?” (v. 14).

Anúncios
%d blogueiros gostam disto: