Ninguém conhece o Filho, senão o Pai; e ninguém conhece o Pai, senão o Filho, e aquele a quem o Filho o quiser revelar (Mateus 11:27).

As sete vezes “Eu sou”

Jesus Cristo veio ao mundo para nos levar ao Pai. Por meio de sete ilustrações muito simples Ele nos revelou quem é.

“Eu sou o pão da vida; aquele que vem a mim não terá fome… se alguém comer deste pão, viverá para sempre” (João 6:35,51). Encontramos aqui satisfação.

“Eu sou a luz do mundo; quem me segue não andará em trevas, mas terá a luz da vida” (João 8:12). Com Ele há luz e verdade.

“Eu sou a porta; se alguém entrar por mim, salvar-se-á, e entrará, e sairá, e achará pastagens” (João 10:9). Através dEle é possível entrar no reino de Deus.

“Eu sou o bom Pastor; o bom Pastor dá a sua vida pelas ovelhas… Eu sou o bom Pastor, e conheço as minhas ovelhas, e das minhas sou conhecido” (João 10:11, 14). Os que pertencem a Ele têm perfeita segurança.

“Eu sou a ressurreição e a vida; quem crê em mim, ainda que esteja morto, viverá” (João 11:25). Como Vitorioso sobre a morte, Ele dá vida: vida eterna.

“Eu sou o caminho, e a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim” (João 14:6). Ele é o único meio de acesso a Deus, o Pai.

“Eu sou a videira, vós as varas; quem está em mim, e eu nele, esse dá muito fruto” (João 15:5). Um íntimo relacionamento com o Senhor Jesus resulta em uma vida que produz muito fruto para Ele.

Extraído do devocional “Boa Semente” – literatura@terra.com.br

Anúncios

Por isso, pondo de parte os princípios elementares da doutrina de Cristo, deixemo-nos levar para o que é perfeito, não lançando, de novo, a base do arrependimento de obras mortas e da fé em Deus,

Hebreus 6:1-20

Avancemos agora até a maturidade espiritual. Não nos contentemos, como estes cristãos que abandonaram o judaísmo, em conhecer algumas verdades elementares. O Senhor Jesus quer ser para nós mais que um Salvador de obras mortas; Ele deseja ser nosso Senhor, nosso Exemplo, nosso Melhor Amigo…

Os versículos de 4 a 6 são usados freqüentemente pelo diabo para perturbar os filhos de Deus. Na realidade, estes versículos foram escritos para aqueles que se dizem cristãos sem de fato o serem. No estado moral descrito aqui, não se pode achar nenhum traço da vida divina comunicada à alma do verdadeiro crente. Isso acontece porque, infelizmente, é possível viver em meio aos privilégios cristãos sem ter passado por uma conversão genuína! Isso era verdade para certos judeus; e talvez também o seja para filhos de pais cristãos. Verdadeiros cristãos nunca podem perder a salvação. Mas correm sério risco de perder o zelo. Tal como o trabalho de amor que Deus não esquece, a e a esperança não podem ser negligenciadas (vv. 10, 11, 12). Elas são alimentadas pelas promessas divinas. O cristão conhece seu porto de chegada mesmo quando não consegue vê-lo; sua âncora está ali. Por mais agitado que seja o mar desta vida, a fé é a corda que une firmemente o resgatado ao imutável lugar celeste onde está o Objeto de sua esperança.

E levantaram-se aqueles homens dali, e olharam para o lado de Sodoma; e Abraão ia com eles, acompanhando-os.

Gênesis 18:16-33 (leia aqui)

“A intimidade do Senhor é para os que o temem” (Salmo 25:14; leia também Amós 3:7). Abraão é um deles. O Senhor poderia dizer: “Eu o conheço. Ocultarei de Abraão as coisas que faço?” A compreensão da mente de Deus é algo obrigatoriamente atrelado a um andar fiel. Deus sabe que o único resultado de Suas instruções será produzir no coração do homem de Deus sentimentos semelhantes aos Seus próprios: a compaixão e o desejo de arrebatar do terrível juízo as pessoas que ama. Amigos cristãos, nós conhecemos da Palavra de Deus a sentença proferida contra o mundo e o juízo que o espera. Somos movidos pelos mesmos sentimentos quando consideramos o terrível destino das inúmeras almas que se perdem por toda a eternidade? Cada um de nós conhece em sua família ou entre os colegas pessoas não convertidas. O que podemos fazer por elas? Certamente devemos adverti-las, mas também devemos interceder fervorosamente, como vemos Abraão fazendo aqui por Sodoma, lugar onde está seu irmão Ló. 1 Timóteo 2 nos conclama a suplicar em favor de todos os homens, na ocasião em que nos dirigirmos Àquele que, por experiência, conhecemos pelo lindo nome de “Deus, nosso Salvador” , o qual “deseja que todos os homens sejam salvos”.

DEPOIS apareceu-lhe o Senhor nos carvalhais de Manre, estando ele assentado à porta da tenda, no calor do dia.

Gênesis 18:1-15 (leia aqui)

Deus honra a Abraão chamando-lhe Seu amigo (2 Crônicas 20:7; Isaías 41:8; Tiago 2:23). E por ser Seu amigo, Deus o visita e lhe comunica Suas intenções com respeito ao próprio Abraão (vv. 9-15) e para com o mundo (vv. 20-21; veja João 15:15). O patriarca replica com confiança e desembaraço porém em profundo respeito. O estado de seu coração é revelado pelo modo ávido e jubiloso com que recebe seus hóspedes celestiais; ele conhece seu Deus e experimentou que o Senhor é bondoso (1 Pedro 2:3). O Novo Testamento menciona várias pessoas que tiveram o privilégio de receber o Senhor Jesus em suas casas: Levi, Marta e Zaqueu (Lucas 5:29; 10:38; 19:5). E isso nos ensina sob quais condições podemos desfrutar da mesma intimidade. Obediência à Palavra do Senhor é a chave para que o nosso coração seja aberto a Ele (João 14:23). Abraão não é apenas um exemplo de comunhão com Deus, mas também do exercício da hospitalidade. O cristão é chamado a praticá-la sem murmuração (1 Pedro 4:9; Romanos 12:13; Hebreus 13:2). Que boas novas trazem os visitantes para Abraão e Sara: o anuncio da chegada de seu muito esperado herdeiro! Mas Sara duvida e ri. Para nós esta é a oportunidade de ouvirmos uma magnífica certificação: “Acaso, para o Senhor há coisa demasiadamente difícil?” (v. 14).

[Insira o Tít “E lhes enxugará dos olhos toda lágrima, e a morte já não existirá, já não haverá luto, nem pranto, nem dor, porque as primeiras cousas passaram.” (Apocalipse 21.4) ulo da Postagem Aqui]

O melhor ainda está por vir! O Santo dos Santos está à nossa frente. O Senhor preparou uma bem-aventurança inimaginável para aqueles que O amam. Essa bem-aventurança não pode ser descrita, pois: “Nem olhos viram, nem ouvidos ouviram, nem jamais penetrou em coração humano o que Deus tem preparado para aqueles que o amam.” Mas o Senhor, na Sua Palavra, compartilhou coisas bem concretas sobre a glória eterna. Por exemplo, lemos no livro de Isaías: “…nunca mais se ouvirá nela nem voz de choro nem de clamor.” Isso significa: os glorificados não choram mais, pois todo motivo para tristeza foi abolido. Nenhum sofrimento nos entristece e nem recordações da morte ou qualquer prejuízo nos deixam aborrecidos ou magoados. Lá não se chorará mais, pois nossa santificação estará concluída. Os comprados pelo sangue do Cordeiro nunca mais serão afastados da presença do Deus vivo através de “corações maus e incrédulos”. Lá estaremos diante do Seu trono e teremos nos tornado na semelhança do Seu Filho. Lá deixarão de se afligir aqueles que, já aqui na terra, se afastaram do pecado.

Extraído do livro “Pérolas Diárias” (de Wim Malgo