Depois caminhou Abrão dali, seguindo ainda para o lado do sul.

Gênesis 12:9-20 – 13:1-4 (leia aqui)

Abrão chega com Ló, seu sobrinho, à terra de Canaã. Mas a fome acomete aquela terra, e o patriarca desta vez não espera por instruções divinas: ele desce ao Egito. Observem para onde conduz esta falta de dependência: Abrão nega sua esposa e, mediante esta mentira, coloca-se numa situação crítica. Esta triste página da história nos mostra do que o crente mais fiel é capaz quando abandona o lugar onde Deus o colocou. Ele pode ser levado a negar o seu relacionamento com o Senhor. Pedro passou por esta dolorosa experiência. Ele tinha buscado a companhia do inimigo de seu Mestre e com isto perdeu toda a coragem de confessar o nome do Senhor Jesus (Mateus 26:69). E nós , redimidos pelo Senhor, também não ficamos por vezes envergonhados de dizer que pertencemos a Ele? (compare com 2 Timóteo 2:12-13).

Será que essa atitude, desastrosa para um homem de Deus, é ao menos de algum proveito para o mundo? Nem isso! A presença de Sarai no palácio só traz pragas sobre o Faraó e seu povo. Depois de o mundo lhe clamar “vai-te”, em um contexto bastante diferente da ordem que o Senhor lhe dera no versículo 1, Abrão retorna a Canaã, ao seu ponto de partida. Lá ele encontra novamente o altar; noutras palavras, ele retoma o seu relacionamento com Deus, algo de que não podia desfrutar enquanto estava no Egito.

Anúncios
%d blogueiros gostam disto: