ESTE é o livro das gerações de Adão. No dia em que Deus criou o homem, à semelhança de Deus o fez.

Gênesis 5:1-20 (leia aqui)

Depois da decadência da linhagem de Caim, é como se Deus começasse a história do homem novamente (vv. 1-2). Temos aqui uma série de nomes que vem a formar, através dos séculos, aquilo que é chamado de “a linhagem dourada da fé”; esta que por fim leva até ao Messias, “a descendência da mulher” prometida após a queda. Esta família não se destaca por muita atividade, como no caso da família de Caim. A vida de um homem de Deus nesta terra quase nunca deixa rastro. Ele não contribui muito para o progresso do mundo e a história não tem muita coisa que dizer sobre ele. Nasce, vive, tem filhos e morre. Sim, a morte está presente neste cenário, é a conseqüência do pecado; e o breve resumo de uma longa vida de cada um desses patriarcas termina com as inexoráveis palavras: “e morreu”. Satanás, o mentiroso, afirmou: “É certo que não morrereis” (3:4), mas Deus tinha afirmado: “Ao pó tornarás” (3:19). O capítulo 5 nos dá uma solene confirmação deste fato. Ainda assim, Adão e seus primeiros descendentes terrenos atingiram grandes idades. Deus permitiu que isto fosse assim antes da existência das Escrituras, para que a verdade fosse transmitida oralmente através do menor número de intermediários possível. Mal houve sete intermediários entre Adão e Moisés

Anúncios
%d blogueiros gostam disto: