O que eu faço não o sabes tu agora, mas tu o saberás depois (João 13:7).

Meditações sobre o livro de Deuteronômio (Leia Deuteronômio 29:18-29)

Até agora, o assunto tem sido o povo como um todo. Os versículos 18 a 21 aplicam-se a indivíduos, homens e mulheres que se afastam do Senhor. Erva venenosa e amarga (v. 18) é planta cujos frutos crescem em lugares não cultivados. Quando nosso coração está “em situação selvagem”, não devemos surpreender-nos se certas raízes de amargura se desenvolverem, envenenando nosso espírito com toda a sorte de ressentimento, inveja e animosidade. A cura para isso, de acordo com Hebreus 12:15, é não nos privarmos da graça de Deus.

Este capítulo encerra com um versículo reconfortante. Nossa história, assim como a de Israel, consiste em um lado visível, pelo qual somos responsáveis; e um lado oculto, o da graça, do qual somente Deus tem pleno conhecimento. Certas tapeçarias são bordadas do fim para o início. Enquanto o trabalho é feito, apenas se vêem nós e linhas desordenadas na peça; somente o artesão sabe o que está fazendo. Quando o bordado fica pronto, o desenho surge no outro lado em toda sua beleza e perfeição. “As coisas reveladas” correspondem ao lado visível da obra divina. Aflições, provas, disciplinas por vezes nos parecem contrárias aos planos de Deus. Mas em breve, na magnificência do Lugar Celestial, admiraremos o lado oculto do trabalho de Deus e entenderemos completamente Seu amor.

Extraído do devocional “Boa Semente” – literatura@terra.com.br

Anúncios

Agora, vos rogamos, irmãos, que acateis com apreço os que trabalham entre vós e os que vos presidem no Senhor e vos admoestam;e que os tenhais com amor em máxima consideração, por causa do trabalho que realizam. Vivei em paz uns com os outros. Exortamo-vos, também, irmãos, a que admoesteis os insubmissos, consoleis os desanimados, ampareis os fracos e sejais longânimos para com todos. Evitai que alguém retribua a outrem mal por mal; pelo contrário, segui sempre o bem entre vós e para com todos. Regozijai-vos sempre. Orai sem cessar.

1 Tessalonicenses 5:12-28

O final da epístola ensina qual deve ser o nosso comportamento entre os irmãos, para com todos os homens, em relação a Deus e, por fim, na Igreja. Em suma, nossa vida inteira está encerrada nestas curtas exortações. Se é uma questão de regozijar, que seja sempre; de orar, que seja sem cessar; de dar graças, que seja em tudo. A fé nos permite agradecer ao Senhor mesmo pelas coisas que nos parecem penosas. Orar sem cessar é permanecer em Sua comunhão, o que será também nossa salvaguarda contra o mal sob todas as suas formas (v. 22). Aquele que nos resgatou completamente – espírito, alma e corpo – exige também a santidade de todo o nosso ser (4:3). As manchas do espírito e do coração, embora invisíveis, são tão temíveis como as do corpo. Peçamos ao Senhor, que é fiel, que nos conserve íntegros e irrepreensíveis, semelhantes a Ele, para o momento da grande reunião. Na verdade, nenhum pensamento é mais apropriado para nos santificar que o do retorno do Senhor Jesus (leia 1 João 3:3). Esta inestimável promessa se encontra mencionada no fim de cada um dos cinco capítulos desta epístola. Não a percamos de vista. Até então, que “a graça de nosso Senhor Jesus Cristo” seja com cada um de nós.

Extraído do “Guia Devocional do Novo Testamento” – literatura@terra.com.br

E depois disto edificou o muro de fora da cidade de Davi, ao ocidente de Giom, no vale, e à entrada da porta do peixe, e ao redor de Ofel, e o levantou muito alto; também pôs capitàes de guerra em todas as cidades fortificadas de Judá. E tirou da casa do Senhor os deuses estranhos e o ídolo, como também todos os altares que tinha edificado no monte da casa do Senhor, e em Jerusalém, e os lançou fora da cidade. E reparou o altar do Senhor e ofereceu sobre ele sacrifícios de ofertas pacíficas e de louvor; e ordenou a Judá que servisse ao Senhor Deus de Israel. Contudo o povo ainda sacrificava nos altos, mas somente ao Senhor seu Deus.

2 Crônicas 33:14-25 (leia aqui)

A graça de Deus não apenas atendeu à súplica de Manassés, mas lhe deu outra oportunidade de remediar o mal que fizera no passado. De fato, algumas conversões se dão somente no leito de morte. E, embora ainda haja tempo para a alma ser salva, já é muito tarde para servir o Senhor aqui no mundo. Que irremediável perda eterna (2 Coríntios 5:10; 1 Coríntios 3:15)!

Os frutos são a prova da conversão. A conversão de Manassés era claramente visível a Judá. Os falsos deuses, aos quais ele servira com tanto fervor, são rejeitados; a adoração ao Senhor substitui o culto aos ídolos. Essa é genuinamente a marca da verdadeira conversão (1 Tessalonicenses 1:9). Tal palavra significa uma virada, uma completa mudança de direção. O Senhor Jesus se torna o centro da vida de uma pessoa e toda a energia que antes era consumida para servir ao mundo e ao pecado agora é empregada para servir a Deus.

Amom não tirou proveito do exemplo de seu pai. Ele não se humilhou. Portanto, passou “como a flor da erva” – de acordo com a expressão do profeta – ao soprar sobre ele “o hálito do Senhor” (Isaías 40:6-7).

“Estou crucificado com Cristo; logo, já não sou eu quem vive, mas Cristo vive em mim.” (Gálatas 2.19-20)

Sua vida espiritual não teve poder até hoje? Foi sem resultados convincentes? O motivo disso é a sua auto-afirmação. Entregue agora na morte de Jesus o seu “eu” orgulhoso, mentiroso e egocêntrico! Você deve se considerar crucificado com Cristo. Deve se apoiar tão firmemente nesse fato o quanto é real e histórico Jesus Cristo ter morrido na cruz. O Senhor o provará nessa posição de fé. Pessoas ao seu redor o provocarão, o desafiarão no dia-a-dia, apelarão ao seu orgulho e à sua ambição, enganarão você, o menosprezarão, caluniarão, desprezarão. Mas tudo isso serve como instrumento na mão de Deus, a fim de provar se de fato você está crucificado com Cristo. Aí ficará manifesto se você reage como Jesus, Aquele que, ao ser provocado para descer da cruz, se calou e permaneceu na cruz. Esse é o segredo! Sua família se transformará, tudo ao seu redor se transformará porque você foi transformado. Agora seu cristianismo não é mais sem seiva e sem poder, porque deixou de ser mera teoria para se transformar numa realidade viva. Negar-se a si mesmo significa dizer sim a Jesus. Você encontrará a vida verdadeira por rejeitar e entregar a sua própria vida a Jesus.

Extraído do livro “Pérolas Diárias” (de Wim Malgo)