DEPOIS destas coisas e desta verdade, veio Senaqueribe, rei da Assíria, e entrou em Judá, e acampou-se contra as cidades fortificadas, e intentou apoderar-se delas. Vendo, pois, Ezequias que Senaqueribe vinha, e que estava resolvido contra Jerusalém, Teve conselho com os seus príncipes e os seus homens valentes, para que se tapassem as fontes das águas que havia fora da cidade; e eles o ajudaram.

2 Crônicas 32:1-15 (leia aqui)

“Depois dessas coisas e dessa fidelidade” que agradaram a Deus, veio um adversário. O grande Inimigo não suporta a devoção a Deus e sempre levanta pessoas contra os fiéis, neste caso o rei da Assíria.

A alegria que experimentamos no Senhor não deve fazer-nos esquecer da existência desse adversário que nos ronda como um leão que ruge, procurando a quem possa devorar (1 Pedro 5:8). Satanás parte para a ofensiva. Ele envia contra Jerusalém o poderoso rei da Assíria, que já começa divulgando uma mensagem ameaçadora e desleal: “Acaso, não vos incita Ezequias, para morrerdes à fome e à sede” (v. 11). Mentira deslavada! Os depósitos do santuário não estavam abarrotados de provisões recolhidas no tempo da abundância (31:10-11)? E, graças ao aqueduto que Ezequias havia construído (v. 4 e 2 Reis 18:17; 20:20), água fresca abastecia a cidade.

O Mentiroso ainda usa essa tática hoje. Escutar as mentiras dele e afastar-se do Senhor é o caminho certo para a calamidade e miséria. Cristo é o pão da vida (João 6:48, 51) e Ele é a fonte da água viva (João 7:37). Fora dEle só existe escassez.

Anúncios
%d blogueiros gostam disto: