Então naquele mesmo dia Davi, em primeiro lugar, deu o seguinte salmo para que, pelo ministério de Asafe e de seus irmãos, louvassem ao Senhor;

1 Crônicas 16:7-22 (leia aqui)

Os cantores e instrumentistas tinham sido escolhidos. Em nossos dias, o canto não é mais exclusividade de poucos. Certamente todos nós gostamos de cantar um hino de louvor, e em particular na Ceia do Senhor juntar nossa voz em canções de adoração (Efésios 5:19; Colossenses 3:16). Neste capítulo Davi entrega nas mãos de Asafe pela primeira vez a responsabilidade de louvar ao Senhor com hinos. Seu Nome, Sua glória, Suas obras, Seu relacionamento com Seu povo… que excelentes razões os israelitas tinham para celebrar! Para nós que conhecemos o Senhor Jesus e Sua obra na cruz, quantos infinitos motivos temos para adorar! Sim, cantemos com entendimento; pensemos nas palavras proferidas. Nossos hinos, compostos em concordância com a Bíblia, revelam muitos aspectos das glórias do Pai e do Filho. É imprescindível diferenciar tais aspectos.

O que são os filhos de Deus em relação ao mundo que os cerca? “Pequeno número, pouquíssimos e forasteiros” (v. 19). Será que são infelizes? Muito pelo contrário! “Gloriai-vos no seu santo nome; alegre-se o coração dos que buscam o Senhor” (v. 10). Nossa glória, nossas riquezas, alegria e segurança estão no nome de Jesus e em nosso relacionamento com Ele e com o Pai.

Anúncios