E ACONTECEU que, tendo Ezequias ouvido isto, rasgou as suas vestes, e se cobriu de saco, e entrou na casa do Senhor.

2 Reis 19:1-13 (leia aqui)

Diante da investida dos exércitos assírios, Ezequias demonstra uma estranha maneira de conduzir a guerra. Em vez de se vestir com uma armadura, ele se cobre com um pano de saco. Seus oficiais não estão nas plataformas que ele construiu, mas na casa do Senhor. Por fim, em vez de chamar seus melhores guerreiros, ele mandou buscar o profeta Isaías! Mas, em contraste com a insolência e soberba do rei da Assíria, essa não é uma boa estratégia militar, conforme Paulo nos ensina? O apóstolo escreve em 2 Coríntios 10:4-5: “Porque as armas da nossa milícia não são carnais, e sim poderosas em Deus, para destruir fortalezas, anulando nós sofismas e toda altivez que se levante contra o conhecimento de Deus“. Ezequias, cujo nome significa “poder de Deus”, sabe a quem deve ir para obter ajuda (Salmo 121:2). A confiança dele não é frustrada. “Não temas” foi a resposta do profeta – uma preciosa frase que tantas vezes ouvimos na Bíblia, especialmente da boca do próprio Deus: “Não temas, crê somente” (Marcos 5:36). Ele tinha a língua de eruditos para que pudesse dizer boa palavra ao cansado (Isaías 50:4). A temerosa porém confiante alma do redimido, enquanto suporta as aprovações, recebe através dessa palavra a força e a coragem necessárias para esperar pelo livramento.

Anúncios