E viveu Amazias, filho de Joás, rei de Judá, depois da morte de Jeoás, filho de Jeoacaz, rei de Israel, quinze anos.

2 Reis 14:17-29 (leia aqui)

Nada é dito sobre os últimos quinze anos da vida de Amazias. Anos perdidos! Ele não fez nada de valor para Deus que merecesse ser mencionado! Não há períodos assim em nossa vida? Como seu pai, Joás, ele também morreu de morte violenta – um triste fim para um homem que “deixou de seguir ao Senhor” (2 Crônicas 25:27)! Seu filho Azarias, também chamado de Uzias, o sucedeu quando tinha dezesseis anos, enquanto em Israel continuava o longo reinado do terceiro descendente de Jeú: Jeroboão II. Este último, como seus predecessores, manteve sua conexão com os bezerros de ouro feitos pelo primeiro Jeroboão! No entanto, por Sua misericórdia, Deus continua a livrar Seu povo, mesmo quando sob o domínio de um rei perverso. Como são comoventes as seguintes palavras: “Ainda não falara o SENHOR em apagar o nome de Israel de debaixo do céu” (v. 27). Deus, adiando o julgamento, anseia por demonstrar Sua graça toda vez que Sua aliança de justiça Lhe permite.

Ele continua a enviar profetas ao povo durante esse período: Oséias, Amós e por fim Jonas, aqui mencionado (v. 25). Deus multiplica as advertências. Em Hebreus, a Palavra diz que Deus falou “muitas vezes e de muitas maneiras, aos pais, pelos profetas, nestes últimos dias, nos falou pelo Filho, a quem constituiu herdeiro de todas as coisas, pelo qual também fez o universo” (Hebreus 1:1-2).

Anúncios
%d blogueiros gostam disto: