Então voltou ao homem de Deus, ele e toda a sua comitiva, e chegando, pôs-se diante dele, e disse: Eis que agora sei que em toda a terra não há Deus senão em Israel; agora, pois, peço-te que aceites uma bênção do teu servo.

2 Reis 5:15-27 (leia aqui)

A primeira coisa que Naamã fez depois de sua cura foi voltar e agradecer ao instrumento que a tornou possível. Isso nos lembra um dos dez leprosos que foram limpos pelo Senhor, o qual “vendo que fora curado, voltou, dando glória a Deus em alta voz” (Lucas 17:15). E o mais notável disso é que ele também era estrangeiro.

Naamã aprendeu que a salvação é absolutamente gratuita. Muitos jamais conseguiram aceitar esse fato. Isso se torna mais compreensível quando se vê uma classe de clérigos recebendo favores pessoais em troca de perdão de pecados: “sórdida ganância” (1 Timóteo 3:8; Tito 1:7; 1 Pedro 5:2). Geazi nos faz pensar sobre isso. A conduta dele, tão influenciada pelo amor ao dinheiro, prejudicou a compreensão de Naamã sobre o dom gratuito de Deus. O coração do homem de Deus, tão preocupado com o “novo convertido”, assistiu à cena tempo todo. O ato desonesto é exposto, e o cobiçoso Geazi recebe uma terrível punição (Atos 5:1-11). “Era isto ocasião para tomares prata e para tomares vestes, olivais e vinhas, ovelhas e bois, servos e servas?”, pergunta Eliseu, cuja fortuna pessoal era seu manto profético. Que pergunta séria! Como discípulos de um Mestre que se tornou pobre, nós, às vésperas de Seu retorno, não temos tempo para desperdiçar tentando amealhar fortunas neste mundo (Tiago 5:3; Ageu 1:6-7).

Anúncios
%d blogueiros gostam disto: