E tornou o rei a enviar-lhe outro capitão de cinqüenta, com os seus cinqüenta; ele lhe respondeu, dizendo: Homem de Deus, assim diz o rei: Desce depressa.

2 Reis 1:11-18 (leia aqui)

Em sua obstinação, Acazias envia um segundo capitão com mais cinqüenta homens para trazer Elias. As ordens são ainda mais insolentes: “Desce depressa“. Ele obteve a mesma resposta do anterior.

No Carmelo, o fogo não desceu dos céus sobre os que assistiam à cena, mas apenas sobre o sacrifício. É uma figura do julgamento divino caindo sobre Cristo para trazer o coração do Seu povo de volta a Deus. Mas, no capítulo de hoje, o fogo teve de descer como julgamento sobre os homens rebeldes.

Jesus, a santa Vítima, experimentou sozinho o calor da ira divina. Porém, no futuro, os que não crerem terão de se submeter a essa ira inflexível por toda a eternidade (Romanos 1:18).

Esse dia de julgamento ainda não chegou. Foi por isso que o Senhor reprovou tão severamente os discípulos Tiago e João que tinham esse incidente em mente ao propor que o fogo descesse do céu e consumisse uma aldeia de samaritanos (Lucas 9:52-56).

O capitão da terceira tropa talvez era um dos sete mil do qual o Senhor falara. Ele demonstra respeito, humildade e afeição por seus soldados. Elias foi com ele até a presença do rei, apenas para repetir palavra por palavra a mensagem original, logo cumprida pela morte de Acazias.

Anúncios
%d blogueiros gostam disto: