E EIS que, por ordem do Senhor, veio, de Judá a Betel, um homem de Deus; e Jeroboão estava junto ao altar, para queimar incenso.

1 Reis 13:1-19 (leia aqui)

Certo dia “que ele tinha imaginado no seu coração” (12:33), Jeroboão celebrou em Betel uma festa em honra aos dois bezerros de ouro que havia feito. Mas alguém chegou e perturbou a festa. Era um homem de Deus que vinha de Judá com uma solene mensagem: “Altar, altar! Assim diz o Senhor”. O altar se parte ao meio, o rei é castigado e depois curado pelo poder de Deus. O profeta recebeu ordem de voltar tão logo sua missão estivesse cumprida. Descansar, comer e beber no território dessas tribos desobedientes seria uma contradição às palavras de julgamento que ele mesmo havia pronunciado. Da mesma maneira, não temos como demonstrar amizade para com as organizações religiosas que não se submetem à Palavra de Deus.

O velho profeta, cujos filhos parecem ter estado presentes à festa dos bezerros, não tinha nenhum interesse em Betel. Por essa razão, embora vivesse em uma cidade onde existia muito serviço a ser feito, ele não fora comissionado pelo Senhor a executar nada. Mas, ao convidar o homem de Deus de Judá para estar em sua casa, tal profeta estava justificando sua falsa posição e fortalecendo sua própria reputação. Se o profeta de Judá tivesse manifestado mais urgência em deixar o distrito, não teria sido alcançado (v. 14).

Anúncios
%d blogueiros gostam disto: