Sucedeu, pois, que, acabando Salomão de fazer ao Senhor esta oração e esta súplica, estando de joelhos e com as mãos estendidas para os céus, se levantou de diante do altar do Senhor.

1 Reis 8:54-66 (leia aqui)

O rei chega ao fim da longa oração que fez de joelhos (v. 54). Temos certeza de que essa é uma posição familiar para nossos leitores. Não há nada mais precioso e efetivo do que se ajoelhar pelo menos uma vez ao dia para falar com Deus (em voz alta, de preferência, para evitar distrações). E ainda que possamos esquecer-nos do que acabamos de orar, nossas palavras permanecem “diante do SENHOR, nosso Deus, de dia e de noite” (v. 59). Por fim, é dito que Ele executa “justiça ao seu servo e ao seu povo”. Podemos contar que Deus defenderá nossa causa “segundo cada dia o exigir”. Ele sabe que, se nos der tudo de uma só vez, descansaremos sobre essas provisões para o futuro e deixaremos de contar com Ele somente. Essa é a razão pela qual Ele trata de nossas questões diariamente (“segundo cada dia o exigir”). Jesus similarmente nos ensina que “basta ao dia o seu próprio mal” (Mateus 6:34).

Essa cerimônia de dedicação (ou inauguração) do templo acontece no período da Festa dos Tabernáculos, no sétimo mês de cada ano. Ela terminou com sacrifícios e com júbilo, tal qual em Deuteronômio 16:15.

Anúncios
%d blogueiros gostam disto: