Então disse Aimaás, filho de Zadoque: Deixa-me correr, e denunciarei ao rei que já o Senhor o vingou da mão de seus inimigos.

2 Samuel 18:19-33 (leia aqui)

No capítulo anterior, Aimaás havia corrido em obediência e alcançado sucesso em seu serviço. Agora sua vontade própria se manifesta: “Deixa-me correr” (v. 19). Conseqüentemente, seus esforços são inúteis, conduzindo-o ao engano. O mesmo se aplica a todas as nossas capacidades; elas são úteis ou não, dependendo de estarmos obedecendo ou não ao Senhor Jesus.

O coração de Davi não estava feliz com a vitória que acabara de conquistar. Que lhe importava o trono ou mesmo sua vida? Absalão tinha morrido, e a dolorosa notícia atinge seu coração de pai, à medida que sente sua parcela de responsabilidade nos eventos que aconteceram. “Meu filho Absalão, meu filho, meu filho Absalão!” Aqui temos uma das mais terríveis lamentações em toda a Escritura, terrível o bastante para fazer os pais cristãos estremecer – uma lamentação sem eco, sem esperança, que expressa a horrenda certeza da separação definitiva e eterna. Totalmente diferente foi a morte do filhinho de Bate-Seba! Davi, em vez de se lamentar, declarou com a convicção do encontro na ressurreição: “Eu irei a ela” (12:23). Mas, para Absalão, assim como para Judas, melhor seria se ele nem tivesse nascido (Mateus 26:24).

Anúncios

Uma resposta

  1. Parabens Pr. pelas mensagens de Deus

Os comentários estão desativados.

%d blogueiros gostam disto: