E DAVI contou o povo que tinha consigo, e pôs sobre eles capitães de mil e capitães de cem.

2 Samuel 18:1-18 (leia aqui)

A batalha está prestes a começar. Novamente ela corresponde a uma guerra civil! E o pobre rei está em uma trágica situação. Será que ele pode esperar a vitória quando isso certamente envolverá a derrota e a possível morte de um filho que seu coração jamais deixou de amar?

“Aquilo que o homem semear, isso também ceifará” (Gálatas 6:7). Para o ímpio Absalão, chegara a hora da “colheita”. A terrível declaração de Provérbios 30:17 se aplica a ele: “Os olhos de quem zomba do pai ou de quem despreza a obediência à sua mãe, corvos no ribeiro os arrancarão e pelos pintãos da águia serão comidos”. A bela cabeleira, orgulho de Absalão, se tornou a sua destruição. O cruel Joabe é o instrumento pelo qual o julgamento de Deus é executado; contudo, isso não o exime de modo algum. Apesar das ordens do rei, ele não pensou duas vezes antes de cometer mais um assassinato a sangue frio.

Ao erguer um pilar em sua própria honra, Absalão não previu que outro monumento poderia ser erigido para sua própria vergonha: um monte de pedras sobre a cova onde seu corpo seria jogado (como no caso de Acã – Josué 7:26), um monte no qual cada homem jogaria uma pedra como sinal de desprezo e condenação.

Anúncios
%d blogueiros gostam disto: