E, chegando o rei Davi a Baurim, eis que dali saiu um homem da linhagem da casa de Saul, cujo nome era Simei, filho de Gera, e, saindo, ia amaldiçoando.

2 Samuel 16:5-19 (leia aqui)

Enquanto Davi está seguindo seu caminho de dor e rejeição, um benjamita chamado Simei aproveita covardemente a situação para jogar pedras nele e o insultar. Contra o Senhor Jesus não havia somente um acusador, mas uma matilha inteira de “cães” (Salmo 22:16) que se reuniu em torno da cruz e se aproveitou de Sua humilhação para dEle zombar. Jesus não apenas não revidou, mas Se voltou mais uma vez para Seu Deus (Salmo 22:9). E, em uma escala menor, foi o que Davi fez quando enfrentou essas injustas acusações. Ele clamou Àquele que conhecia a verdade (Salmo 7:1-4). Além disso, ele recebeu essa nova provação como vinda das mãos divinas e aceitou a maldição como algo que Deus julgava necessário. Davi repreendeu Abisai, cujo intenso desejo por vingança se tornara evidente (v. 9 e 1 Samuel 26:8). Foi assim também que nosso Salvador agiu quando, no mesmo jardim, disse a Pedro: “Mete a espada na bainha; não beberei, porventura, o cálice que o Pai me deu?” (João 18:11).

Anúncios
%d blogueiros gostam disto: