Não havia, porém, em todo o Israel homem tão belo e tão aprazível como Absalão; desde a planta do pé até à cabeça não havia nele defeito algum.

2 Samuel 14:25-33 (leia aqui)

Corrupção e violência: esses são os títulos que poderiam ser dados aos capítulos 11, 12 e 13. Desde o começo de Gênesis, essas são as características do mundo. Não é diferente em nossos dias. Mas que terrível quando essas são as características da família de um homem de Deus. Davi abriu a porta para essas duas formas de mal ao adulterar com Bate-Seba e ordenar a morte de Urias. Agora elas surgiriam na própria casa do rei.

Amnom é assassinado. Pela intervenção de Joabe, Absalão, o assassino do irmão, retorna a Jerusalém. Mas não havia da parte dele nenhuma evidência de arrependimento. Astúcia, orgulho, ambição, ausência de temor de Deus e de afeto natural, tudo isso havia nesse homem e os fatos subseqüentes comporiam um quadro ainda mais tenebroso. Absalão é um homem cuja condição moral não correspondia à beleza física. Como um indivíduo tão desprezível poderia ser filho de um rei tão amado? Infelizmente era! Não herdamos a fé de nossos pais; precisamos adquiri-la por nós mesmos. A passagem de 2 Timóteo 3:1-5 comprova que pode haver muitos Absalãos nas famílias cristãs!