Então disse Davi a Natã: Pequei contra o Senhor. E disse Natã a Davi: Também o Senhor perdoou o teu pecado; não morrerás.

2 Samuel 12:13-25 (leia aqui)

A consciência de Davi, há tanto tempo adormecida, agora é tomada por uma profunda convicção de pecado. Ele percebe que seu crime não envolvia apenas Urias e a mulher dele; em primeiro lugar, foi um crime contra Deus.

As faltas que cometemos contra nossos irmãos, irmãs, parentes, amigos são em primeiro lugar – temos de entender isso –  pecados contra Deus. Portanto, não é suficiente tratar do assunto com a pessoa a quem maltratamos, quando isso é possível (no caso de Davi, não era, pois Urias estava morto); temos também de acertar as coisas com Deus.

Foi isso o que Davi fez no Salmo 51, escrito em um momento de extrema amargura (ver também Salmo 32:5, 1-2). De fato, Deus não despreza um coração “compungido e contrito” (Salmo 51:17). Ele perdoa Seu pobre servo e o faz de maneira completa. Davi fica “mais alvo que a neve”, pois em antecipação é lavado com o sangue de Jesus, derramado por ele, por mim e por você. Mas o que não se podem eliminar são as conseqüências do mal cometido. E elas foram gravíssimas. Primeiro, o filhinho de Davi morreu. Dessa forma todos souberam que Deus perdoa o pecador, mas condena totalmente o pecado, mesmo e especialmente os cometidos por Seus servos.

Anúncios