E O SENHOR enviou Natã a Davi; e, apresentando-se ele a Davi, disse-lhe: Havia numa cidade dois homens, um rico e outro pobre.

2 Samuel 12:1-12 (leia aqui)

“Não cobiçarás a mulher do teu próximo.” “Não adulterarás.” “Não matarás”, disse a Lei (Êxodo 20:17, 14, 13). No Salmo 19:7, Davi declara: “A lei do SENHOR é perfeita”. No entanto, ele transgrediu três mandamentos sucessivos sem que sua consciência o incomodasse. O Senhor teve de mandar Natã até Davi. A tocante parábola da ovelhinha roubada, tão adequada para alcançar o coração de alguém que no passado fora um pastor, revela ao rei a horrenda natureza de suas ações. Mas Davi não percebe o significado disso. Ele não usou de misericórdia com o rico. Não somos assim também? O cisco nos olhos de nosso irmão não nos passa despercebido (Mateus 7:3), enquanto nem mesmo enxergamos a viga em nosso próprio olho. Então o dedo de Deus solenemente aponta para ele: “Tu és o homem“. E todo o negócio, tão bem escondido, foi exposto em toda a sua crueza: “Tu o fizeste em oculto, mas eu farei isto perante todo o Israel e perante o sol”! Por fim, para quebrantar o coração de Davi, Deus o recorda de tudo o que Sua graça lhe fez concedeu. Será que Deus fez pouco? Em 2 Samuel 7:18, Davi havia dito o contrário. Quanto mais recebemos, menos nossas concupiscências podem ser justificadas. E o que temos recebido é infinitamente grande!

Anúncios
%d blogueiros gostam disto: