E VIERAM os zifeus a Saul, a Gibeá, dizendo: Não está Davi escondido no outeiro de Haquilá, defronte de Jesimom?

1 Samuel 26:1-12 (leia aqui)

A generosidade de Davi no capítulo 24 finalmente tocou o coração de Saul. Mas infelizmente não havia nenhum indício de arrependimento verdadeiro! A covarde denúncia dos zifenitas que desejavam obter o favor de Saul trouxe-o de volta ao país para novamente perseguir aquele que um dia tomaria seu lugar. O Salmo 54, escrito nessa ocasião, permite-nos julgar quão terrível foi para Davi esse infame ato dos zifenitas. Ele clama pela ajuda de Deus contra os homens violentos que querem matá-lo; “não têm Deus diante de si” (Salmo 54:3). Contudo, Davi implora a Deus que, em resposta, proteja Seu ungido e lhe dê mais uma oportunidade de mostrar a pureza de suas intenções a Saul. Uma expedição noturna coloca nas mãos de Davi a lança com a qual o criminoso rei por duas vezes tentou matá-lo. Apenas uma palavra seria suficiente – Abisai estava ansiando por ela. Mas novamente a misericórdia impede que Davi faça alguma coisa contra Saul.

Não foi assim que nosso perfeito Modelo agiu (Lucas 9:54)? Ele colocou em prática o que antes tinha ensinado aos Seus discípulos: “Amai os vossos inimigos, fazei o bem aos que vos odeiam; bendizei aos que vos maldizem, orai pelos que vos caluniam… Sede misericordiosos… Não julgueis… não condeneis” (Lucas 6:27-28, 36-37). Isso é o que devemos fazer hoje também!

Anúncios
%d blogueiros gostam disto: