E SUCEDEU naqueles dias que, juntando os filisteus os seus exércitos à peleja, para fazer guerra contra Israel, disse Aquis a Davi: Sabe de certo que comigo sairás ao arraial, tu e os teus homens.

1 Samuel 28:1-14 (leia aqui)

Enquanto Davi está em Gate, em uma posição dúbia e perigosa, Saul passa por uma situação mais terrível ainda. Confrontado pelos filisteus, reunidos para outra guerra, o coração de Saul treme porque não havia nada em que podia apoiar-se. Tendo abandonado o Senhor, Saul foi abandonado por Ele. Saul fez tudo o que podia, mas foi perda de tempo. Deus não o ouviu! É uma solene ilustração de Provérbios 1:24-28. Não esqueçamos que nem mesmo um crente pode esperar conhecer a vontade de Deus se há algo errado em sua consciência.

Hoje em dia, muitas pessoas ainda acham que podem recorrer aos mortos. O diabo usa isso para desviar essas pobres almas supersticiosas. Na verdade, elas não estão comunicando-se com os mortos, mas com demônios.

Filhos de Deus, não sejam curiosos acerca dessas coisas. Elas são uma abominação aos olhos de Deus (Deuteronômio 18:10-12; Levítico 19:31). Saul sabia disso. Nos tempos áureos, ele havia expulsado os médiuns de Israel (v. 3). Porém, como era um homem instável e carnal, ele procurou a feiticeira de Endor.

DISSE, porém, Davi no seu coração: Ora, algum dia ainda perecerei pela mão de Saul; não há coisa melhor para mim do que escapar apressadamente para a terra dos filisteus, para que Saul perca a esperança de mim, e cesse de me buscar por todos os termos de Israel; e assim escaparei da sua mão.

1 Samuel 27:1-12 (leia aqui)

A primeira visita de Davi a Aquis resultou em completo constrangimento (21:10-15). No entanto, apesar disso, ele agora volta por temer Saul. Não podemos mais reconhecer o homem que, no capítulo anterior, penetrou sem medo no acampamento do adversário para pegar a lança da tenda de Saul. E menos ainda podemos reconhecer o homem que tinha vencido Golias e agora procura refúgio com os filisteus. Infelizmente, os seguidores de Jesus muitas vezes também se tornam irreconhecíveis. Com a ajuda de Deus, talvez tenhamos vencido algumas batalhas. Como Davi, demonstramos nossa confiança em Deus e ousadamente testemunhamos diante dos homens. Características da graça podiam ser vistas em nós. Então, de repente, tudo desaparece, e nos encontramos ao lado do mundo, unidos aos inimigos do Senhor.

Em Gate, Davi se esqueceu da derrota de Golias. Queridos leitores, jamais esqueçamos a cruz. Como um abismo, ela nos separa do mundo que crucificou Jesus (Gálatas 6:14).

E Davi, passando ao outro lado, pôs-se no cume do monte ao longe, de maneira que entre eles havia grande distância.

1 Samuel 26:13-25 (leia aqui)

Talvez seja difícil para nós entendermos a personalidade de Saul. Como podemos conciliar seus remorsos, promessas e demonstrações de afeto com a obstinação que novamente o fazia perseguir Davi? Jamais devemos confundir com sentimentalismo. Este último é capaz de fazer uma pessoa verter copiosas lágrimas, de arrepender-se sem a verdadeira convicção, de dizer “Pequei” (15:30; 26:21) e também de celebrar os mais solenes contratos. Mas a consciência não é tocada, e a prova disso é que os frutos não duram. Saul é um homem superficial, capaz de emoções arrebatadoras, porém sem a força de levar suas resoluções a cabo por não ter fé.

Que dignidade Davi preserva, apesar de tanta humilhação. Destruído como uma “perdiz nos montes”, tudo mostra que, no entanto, ele é o mestre da situação. Ele reprova Abner e faz uma pergunta que Saul não pôde responder (v. 18).

Nosso coração mais uma vez é levado Àquele que, depois de ter sido humilhado, escarnecido e rejeitado, será “exaltado e elevado e será mui sublime… e os reis fecharão a sua boca por causa dele” (Isaías 52:13-15).

E VIERAM os zifeus a Saul, a Gibeá, dizendo: Não está Davi escondido no outeiro de Haquilá, defronte de Jesimom?

1 Samuel 26:1-12 (leia aqui)

A generosidade de Davi no capítulo 24 finalmente tocou o coração de Saul. Mas infelizmente não havia nenhum indício de arrependimento verdadeiro! A covarde denúncia dos zifenitas que desejavam obter o favor de Saul trouxe-o de volta ao país para novamente perseguir aquele que um dia tomaria seu lugar. O Salmo 54, escrito nessa ocasião, permite-nos julgar quão terrível foi para Davi esse infame ato dos zifenitas. Ele clama pela ajuda de Deus contra os homens violentos que querem matá-lo; “não têm Deus diante de si” (Salmo 54:3). Contudo, Davi implora a Deus que, em resposta, proteja Seu ungido e lhe dê mais uma oportunidade de mostrar a pureza de suas intenções a Saul. Uma expedição noturna coloca nas mãos de Davi a lança com a qual o criminoso rei por duas vezes tentou matá-lo. Apenas uma palavra seria suficiente – Abisai estava ansiando por ela. Mas novamente a misericórdia impede que Davi faça alguma coisa contra Saul.

Não foi assim que nosso perfeito Modelo agiu (Lucas 9:54)? Ele colocou em prática o que antes tinha ensinado aos Seus discípulos: “Amai os vossos inimigos, fazei o bem aos que vos odeiam; bendizei aos que vos maldizem, orai pelos que vos caluniam… Sede misericordiosos… Não julgueis… não condeneis” (Lucas 6:27-28, 36-37). Isso é o que devemos fazer hoje também!

Então Davi disse a Abigail: Bendito o Senhor Deus de Israel, que hoje te enviou ao meu encontro

1 Samuel 25:32-44 (leia aqui)

Enquanto Nabal celebra como um rei (após ter rejeitado e insultado o verdadeiro rei), o próprio Deus o aflige. Não perdemos nada deixando o Senhor agir por nós.

Abigail, uma mulher de fé, distingue-se por sua sensatez, seu senso de urgência (ela se apressa; v. 18, 23, 42), sua humildade e devoção. “Quando o SENHOR te houver feito o bem, lembrar-te-ás da tua serva” (v. 31, compare o pedido dela com o do ladrão em Lucas 23:42).

Ela recebe uma resposta que excede todas as suas expectativas – Davi a toma por esposa. E, sem um único arrependimento, essa mulher deixa as riquezas para compartilhar o destino do rei rejeitado nas cavernas e desertos. Anteriormente casada com um tolo, ela se torna a feliz companhia do “amado” em seus sofrimentos naquele momento, e em seu reinado no futuro. Que bela figura da Igreja, noiva de Cristo, compartilhando a posição de seu Senhor, neste momento rejeitado e desconhecido pelo mundo, para em um breve futuro vir com toda a Sua glória e majestade! “Se perseveramos, também com ele reinaremos” (2 Timóteo 2:12; Romanos 8:17).

Então Abigail se apressou, e tomou duzentos pães, e dois odres de vinho, e cinco ovelhas guisadas, e cinco medidas de trigo tostado, e cem cachos de passas, e duzentas pastas de figos passados, e os pôs sobre jumentos.

1 Samuel 25:18-31 (leia aqui)

“Pagam-me o mal pelo bem, o que é desolação para a minha alma”, disse Davi no Salmo 35:12. Era isso o que Nabal estava fazendo. Saul tinha feito isso no capítulo anterior, como ele mesmo reconheceu: “Tu me recompensaste com bem, e eu te paguei com mal” (24:17). Mas desta vez Davi não retribuiu com o bem. Em uma explosão de ira, o capitão ofendido prepara sua espada para a vingança. Ele não mais se parece com o perfeito Modelo, “pois ele, quando ultrajado, não revidava com ultraje; quando maltratado, não fazia ameaças, mas entregava-se àquele que julga retamente” (1 Pedro 2:23).

Na casa de Nabal, sabedoria e insensatez habitavam lado a lado. A loucura foi demonstrada pela boca do incrédulo Nabal (cujo nome significa tolo). A sabedoria, por sua vez, é revelada em Abigail, uma mulher “sensata” (v. 3). Com seus presentes, ela vai ao encontro daquele que reconhece como o ungido do Senhor. Ela se curva até o chão, confessa sua indignidade e exalta a glória presente e futura que sua fé discerne no rei escolhido por Deus. Vemos que a incredulidade e a loucura andam de mãos dadas, enquanto a verdadeira sabedoria e a são inseparáveis.

E FALECEU Samuel, e todo o Israel se ajuntou, e o prantearam, e o sepultaram na sua casa, em Ramá. E Davi se levantou e desceu ao deserto de Parã.

1 Samuel 25:1-17 (leia aqui)

Samuel morre, e com isso cessam suas fiéis orações em favor do povo (12:23). Moisés e Samuel são dois grandes exemplos de intercessores (Jeremias 15:1). É muito sério quando o Senhor recolhe um homem ou mulher de oração, quando uma voz é silenciada… talvez após muita oração a nosso favor. Contudo, a intercessão do Senhor Jesus jamais acaba. “Por isso, também pode salvar totalmente os que por ele se chegam a Deus, vivendo sempre para interceder por eles” (Hebreus 7:25).

Davi, o verdadeiro rei, o salvador de Israel, está no meio do povo como um fiel pastor. Ele cuidava dos rebanhos de Nabal com o mesmo zelo que tratava os seus próprios animais. Agora envia um jovem com uma mensagem de paz para a casa daquele homem (v. 6; Lucas 10:5). Mas Nabal despreza Davi e o trata com escárnio (v. 10). Nabal é como aqueles fariseus que disseram sobre Jesus: “Este nem sabemos donde é” (João 9:29). Nabal rejeitou tanto o rei como os mensageiros dele. Isso é também o que o Senhor declarou aos Seus discípulos: “Quem vos der ouvidos ouve-me a mim; e quem vos rejeitar a mim me rejeita” (Lucas 10:16).