E sucedeu que, desde aquele dia, a arca ficou em Quiriate-Jearim, e tantos dias se passaram que até chegaram vinte anos, e lamentava toda a casa de Israel pelo Senhor.

1 Samuel 7:2-17 (leia aqui)

“Tantos dias se passaram, que chegaram a vinte anos” (v. 2). Para quem o tempo foi longo? Não para o povo, que aparentemente não estava sofrendo. Não para Abinadabe e sua família, que estavam contentes em ter a arca em sua casa. Mas para Deus, que esperou por longos vinte anos.

Por fim, houve um despertamento na consciência do povo, e eles lamentaram. Samuel falou com eles da parte do Senhor. Israel tinha de eliminar os ídolos e servir ao vivo e verdadeiro Deus (1 Tessalonicenses 1:9). O povo obedeceu, e Samuel pôde falar com o Senhor sobre eles.

Mas o ajuntamento do povo de Deus não agradou aos inimigos. Eles consideraram isso uma provocação. Os filisteus avançaram… e o Senhor deu vitória a Israel. Essa foi a resposta divina à humilhação e arrependimento do povo e à intercessão de um mediador fiel. Ebenézer – pedra de ajuda: “Até aqui nos ajudou o SENHOR” (v. 12). Cada um de nós pode afirmar isso com convicção? Devemos ter sempre em mente as experiências que glorifiquem ao Senhor.

Samuel foi o último dos juízes (Atos 13:20). Ele cumpriu suas obrigações para com o povo, mas ao mesmo tempo permaneceu, por meio de seu altar, em comunhão com o Senhor, a quem servira desde a infância (1:28).

Anúncios
%d blogueiros gostam disto: