ENTÃO Jerubaal (que é Gideão) se levantou de madrugada, e todo o povo que com ele havia, e se acamparam junto à fonte de Harode, de maneira que tinha o arraial dos midianitas para o norte, no vale, perto do outeiro de Moré.

Juízes 7:1-8 (leia aqui)

O pequeno exército de 32 mil israelitas parecia totalmente inadequado diante dos midianitas, dos amalequitas e dos “filhos do Oriente”. Você é capaz de imaginar a perplexidade de Gideão quando o Senhor lhe falou duas vezes: “É demais o povo que está contigo” (vv. 2 e 4). Isso era para que Gideão não atribuísse a si mesmo a honra da vitória. A primeira separação aconteceu: os que eram covardes foram para casa, conforme Deuteronômio 20:8. Ficaram dez mil para o decisivo teste da água. Alguns beberam bem tranqüilamente, à vontade, enquanto outros, com pressa, lamberam a água. Esses homens, apenas 300 no total, estavam prontos para a batalha. Eles sabiam como colocar suas próprias necessidades em segundo plano. Tinham um alvo em mente. Essa é uma lição para nós cujo alvo é o céu: “Se alguém quer vir após mim, a si mesmo se negue” (Lucas 9:23). Ele não é digno de que neguemos a nós mesmos? Ele também bebeu da torrente (Salmo 110:7), encontrando aqui e ali algum alívio para Seu coração, sem jamais perder de vista o alvo que estava perseguindo – o triunfo da cruz e a glória de Deus, Seu Pai (Lucas 9:51; 12:50).

Anúncios
%d blogueiros gostam disto: