TODOS os mandamentos que hoje vos ordeno guardareis para os cumprir; para que vivais, e vos multipliqueis, e entreis, e possuais a terra que o Senhor jurou a vossos pais.

Deuteronômio 8:1-20 (leia aqui)

Recordar-te-ásnão te esqueças“! Seria um bom título para este livro. Pois o coração de Israel, como o nosso próprio, é rápido para esquecer Deus, Seus atos de libertação, Suas promessas, Seus mandamentos (veja Marcos 8:17). O Senhor tinha levado o Seu povo “como um homem leva a seu filho” (1:31). Aqui Ele os disciplina “como um homem disciplina a seu filho” (v. 5). Ser carregado e ser disciplinado são dois privilégios do filho de Deus (Hebreus 12:5). O segundo nos parece mais difícil de aceitar do que o primeiro. Mas qual é o propósito de Deus em permitir essas experiências no deserto? Isso é repetido três vezes neste capítulo: “para te humilhar” (vv. 2, 3, 16). É mais provável que um homem atravessando necessidades se volte para seu Criador, e é exatamente isso o que Deus espera, visto que a provação não é um fim em si mesmo, mas um meio para, “afinal, te fazer bem” (v. 16). Que contraste entre o deserto que Israel tinha acabado de atravessar, “secura, em que não havia água” (v. 15) e a “boa terra“, cheia de ribeiros de águas, de fontes, de mananciais profundos, na qual Israel estava em prestes a entrar! Que contraste também entre a comida no Egito (Números 11) e as deliciosas e abundantes frutas da terra de Canaã que proporcionavam força, alegria, saúde e graça, algo que traz à lembrança o fruto do Espírito apresentado em Gálatas 5:22-23!

Anúncios
%d blogueiros gostam disto: