Não cuideis que vim destruir a lei ou os profetas: não vim abrogar, mas cumprir.

Mateus 5:17-30

Não se podem ler esses versículos sem que haja um sentimento de apreensão. O Senhor não somente declara que não veio para revogar a terrível lei de Deus que condenava a todos, como também formula uma interpretação muito mais severa para perfazer a vontade divina. Até então, um judeu piedoso talvez pensasse “merecer” a vida eterna se tivesse guardado (mais ou menos) a lei desde a sua juventude (ver Marcos 10:20). Agora, as palavras de Jesus não permitem essa ilusão. Se tais são as exigências da santidade de Deus, quem, pois, pode ser salvo? Sim, neste Homem incomparável estava a plena medida da justiça divina. Porém, a mesma Pessoa que veio para torná-la conhecida veio também para cumpri-la em nosso lugar (v. 17; Salmo 40:8-10).

O antigo judaísmo não se preocupava com a opinião de Deus sobre a ira ou os pensamentos impuros. Apenas seus frutos eram condenados: o homicídio e o adultério. Os mandamentos do Senhor, pelo contrário, vão à fonte desses atos merecedores de punição e nos fazem reconhecer que o nosso coração também é capaz de semelhantes coisas (cap. 15:19). É necessário, pois, entender o quanto necessitamos da graça de Deus antes de fazermos uso dela.

E JESUS, vendo a multidão, subiu a um monte, e, assentando-se, aproximaram-se dele os seus discípulos

        Mateus 5:1-16

Seguir a Jesus implica, primeiramente, em obedecer-Lhe (João 12:26). Assim sendo, podemos manifestar as mesmas características que Ele. O Senhor Jesus mostra essas características a seus discípulos, e a todos os que querem segui-LO, no incomparável Sermão do Monte. Bem-aventurados os que têm uma fé simples e não se apóiam em seu próprio entendimento; bem-aventurados os que se afligem pela maldade do mundo sem, contudo, parar de praticar o bem e demonstrar misericórdia; bem-aventurados os que, por causa do nome do Senhor, suportam as injustiças e perseguições… Note que esse não é o tipo de felicidade que os homens procuram – muito pelo contrário. Mas, para os crentes, a felicidade e a bem-aventurança são ter a aprovação do Senhor; sendo que as alegrias do Reino ainda lhes estão reservadas.

Os versículos 13 e 14 tratam da condição atual dos crentes. Guardando-se do mal, o cristão atua nessa Terra como “sal”, que preserva da corrupção; tem sabor, e deve conferi-lo (ver Jó 6:6). Ele é também “luz”, com a responsabilidade de fazer resplandecer as virtudes de Deus a todos os homens, principalmente “os que se encontram na casa”: sua família, mas também os que estão na Igreja, a casa de Deus.

Jesus, porém, ouvindo que João estava preso, voltou para a Galiléia;

Mateus 4:12-25

O versículo 16 cita o profeta Isaías (capítulo 9, versículos 1 e 2), porém com uma pequena variação. Nos tempos do profeta, o povo “andava” em trevas. Agora se lê que “está assentado”, ou seja, jaz firmemente numa condição distante da luz de Deus, tendo perdido todo o ânimo e toda a esperança. Porém, este é o momento ideal para que Deus intervenha. Aquele que é a Luz aparece trazendo libertação. À Sua chamada, atraídos por Seu amor, alguns discípulos unem-se a Ele e O seguem – dois aqui, dois ali: Simão e André; Tiago e João. Foi o momento decisivo na vida destes homens, um momento que mudaria toda a vida deles e do qual jamais esqueceriam (cap. 19:27). Sim, imediatamente, no mesmo instante, deixam seu pai, seu barco e as redes. Deixam tudo para seguir a um Mestre como nunca houve, e para executar uma nova tarefa: a de serem pescadores de homens. No momento devido, o Senhor fará deles evangelistas e apóstolos.

Nem todos os cristãos são chamados a abandonar seu trabalho ou renunciar os laços familiares, mas todos ouviram algum dia, em seu coração, uma voz que dizia: “Segue-me”. Você atendeu ao chamado?

Os versículos 23 e 24 resumem de modo admirável toda a atitude do amor do Senhor Jesus.

O que vem a mim de maneira nenhuma o lançarei fora. Porque eu desci do céu não para fazer a minha vontade, mas a vontade daquele que me enviou(João 6:37-38).

LEIA A MINHA HISTÓRIA

Ao ler a Bíblia percebi quem era Deus, o que Ele fez e o que disse aos homens. Compreendi que vive eternamente, que não muda, que conhece, vê e registra tudo. É bom, justo, santo, poderoso, sábio e infinitamente paciente.

Mas também soube quem eu era: egoísta, orgulhoso e indiferente à vontade de Deus. Queria viver como bem achava, sem me preocupar com o Criador. Era muito culpado diante dEle.

Finalmente entendi que Deus me oferecia Seu perdão e paz. Eu não tinha nada a fazer para obter o favor de Deus, apenas aceitá-Lo. Deus Se encarregou de absolutamente tudo. Ofereceu o maior resgate possível: Seu Filho, Jesus Cristo, que veio do céu para nos falar do amor divino.

Ao comprovar que minha vida era um fracasso diante de Deus, me voltei para Ele. Pedi-Lhe que me perdoasse por meio do sangue de Jesus Cristo derramado na cruz. Como Ele jamais despreza quem O busca com sinceridade, obtive o total perdão de meus pecados.

Hoje sei que sou uma nova criatura. Estou limpo, puro e posso me aproximar do Deus santo. Nasci de novo (João 3), sou um filho de Deus, faço parte da família santa, a Igreja do Deus vivo.

Que maravilhosa graça! Minha vida é totalmente diferente e agora me alegro na presença do Senhor, que prometeu: “Eis que eu estou convosco todos os dias, até à consumação dos séculos” (Mateus 28:20).

Extraído do devocional “Boa Semente” – literatura@terra.com.br

Eu sei, ó SENHOR, que não cabe ao homem determinar o seu caminho.Toda boa dádiva e todo dom perfeito vêm do alto, descendo do Pai das luzes(Jeremias 10:23; Tiago1:17).

“VOSSO PAI SABE”

Durante toda a noite, dezenas de pessoas procuraram Clemente, um menino de oito anos que se perdera numa montanha coberta de neve. Ao amanhecer, dois helicópteros reforçaram as buscas. Rapidamente os pilotos localizaram marcas de esqui. Por terra, uma equipe seguiu as marcas que se tornaram rastros de pequenos passos. Estes os levaram a uma árvore onde, em meio à espessa ramada, o menino foi encontrado são e salvo.

Por rádio, o responsável pelo resgate anunciou: “Clemente está a salvo. Na verdade, neste momento ele parece melhor que nós”. O garoto se saiu tão bem porque seu pai havia lhe explicado o que devia fazer caso algum dia se perdesse. E ele fez exatamente o que o pai lhe ordenara: se protegeu do frio e da neve subindo em uma árvore para se aquecer no abrigo dos ramos.

Clemente nos mostra o que temos de fazer como filhos de um Pai celestial cheio de amor e sabedoria: simplesmente obedecer aos Seus mandamentos. Ele sabe o que é melhor para nós. Neste mundo cheio de vozes confusas e de armadilhas, nossa felicidade e segurança consistem em confiar no imutável amor de Deus. A Escritura afirma que não é possível que nós mesmos dirijamos nossa vida, não temos o controle total sobre o que nos acontece. Só a Palavra de Deus é a luz moral que ilumina nosso caminho, luz “que vai brilhando mais e mais até ser dia perfeito” (Provérbios 4:18).

Extraído do devocional “Boa Semente” – literatura@terra.com.br

Sabemos que o ídolo nada é no mundo e que não há outro Deus, senão um só. Porque, ainda que haja também alguns que se chamem deuses… todavia, para nós há um só Deus, o Pai… e um só Senhor, Jesus Cristo, pelo qual são todas as coisas (1 Coríntios 8:4-6).

O ÍDOLO

Tukaram, um jovem índio criado na adoração aos falsos deuses de sua religião, acabara de ser admitido como aluno da escola missionária cristã da cidade vizinha. E para chegar lá tinha de atravessar um rio. Certo dia viu muitas pessoas ocupadas tirando alguma coisa das águas. Alguém tinha se afogado? Não; um ídolo de madeira havia caído no rio. Amarraram uma corda ao redor do pescoço da imagem para que a correnteza não a arrastasse. Quantos esforços para salvar um deus que se afogava!

Quando Tukaram chegou à escola, contou o acontecido aos seus novos companheiros cristãos, que exclamaram:

– Que deus tão estranho! Não pode salvar a si mesmo. É um deus morto. Nós conhecemos um Deus vivo!

– Como ele se chama?, perguntou o índio.

– Deus eterno, o Todo-poderoso; Ele é nosso Pai.

– Onde ele mora?

– Está presente em todas as partes, Ele vê e ouve tudo.

Tukaram escutou e ficou meditando. Pouco a pouco aprendeu a conhecer esse Deus único que deu o Seu Filho para salvar os pecadores. Certo dia declarou diante de toda a escola que queria se tornar cristão.

Em nossa época materialista não faltam ídolos de pedra e madeira: o dinheiro, a fama, a bebida, a droga, o sexo, o orgulho e muitos mais. Deus abomina os ídolos, quaisquer que sejam, e a Bíblia é bem enfática quanto a isso: “Filho do homem, estes homens levantaram os seus ídolos no seu coração e o tropeço da sua maldade puseram diante da sua face; devo eu de alguma maneira ser interrogado por eles?” (Ezequiel 14:3). Quem segue os ídolos mortos não pode esperar obter o conhecimento do Deus Vivo. A ordem do Senhor é clara: “Filhinhos, guardai-vos dos ídolos” (1 João 5:21).

Extraído do devocional “Boa Semente” – literatura@terra.com.br

Porquanto o Senhor mesmo, dada a sua palavra de ordem, ouvida a voz do arcanjo, e ressoada a trombeta de Deus, descerá dos céus.” (1 Tessalonicenses 4.16)

Há muito tempo clamamos ansiosos, como Igreja de Jesus, unidos no Espírito Santo: “Vem, sim, vem logo, Senhor Jesus”, e nos perguntamos: “Senhor, por que Tu ainda esperas?” Permita-me, querido leitor, que lhe diga com grande convicção: o silêncio de Deus na história da salvação nos promete que muito mais depressa Ele aparecerá nas nuvens a fim de nos buscar. Tenha bom ânimo, pois, mesmo quando se cala, Deus está presente e ouve o nosso clamor. Ele espera até que a nossa fé esteja plenamente desenvolvida. Então você clamará e Ele lhe responderá: “Eis que estou aqui”. Assim as nuvens escuras da tentação serão enxotadas pelo sol da graça transbordante de Jesus. Por isso insisto: não desista de buscar a Deus, caso você ainda não tenha obtido resposta de certas perguntas que o deixam ansioso. Agarre-se mais a Ele, e persista em esperar nEle, pois a esperança dos justos se transformará em alegria! Jesus responde ao nosso clamor! Sim, Jesus em breve virá!

Extraído do livro “Pérolas Diárias” (de Wim Malgo)