ainda muito que vos dizer, mas vós não o podeis suportar agora

29 de Julho

“Tenho ainda muito que vos dizer, mas vós não o podeis suportar agora.” João 16.12

Como o Senhor gostaria de falar mais conosco! Como é grande o desejo do Senhor em compartilhar conosco os Seus planos! Mas muitas vezes Ele tem que se conter, como aqui no caso dos discípulos. Ele tinha coisas para lhes contar que só podiam ser entendidas por corações que haviam experimentado o Pentecoste. Conforme a medida da plenitude do Espírito, Ele nos transmite os mais profundos mistérios do Seu coração. Quando Ele lavou os pés dos discípulos, Pedro lhe perguntou: “Senhor, tu me lavas os pés a mim? Respondeu-lhe Jesus: O que eu faço não o sabes agora, compreedê-lo-ás depois.” Eis aqui a razão de você não conseguir entender muitas coisas das Sagradas Escrituras. Humilhe-se mais profundamente ainda. Esvazie-se ainda mais da sua própria natureza a fim de ficar ainda mais cheio do Espírito Santo, e assim, pelo mesmo Espírito, Ele poder lhe revelar as profundezas da divindade. “Mas Deus no-lo revelou pelo Espírito, porque o Espírito a todas as cousas prescruta, até mesmo as profundezas de Deus.”

Extraído do livro “Pérolas Diárias” (de Wim Malgo)

, Senhor, a minha oração, escuta-me quando grito por socorro; não te emudeças à vista de minhas lágrimas

28 de Julho

“Ouve, Senhor, a minha oração, escuta-me quando grito por socorro; não te emudeças à vista de minhas lágrimas.” Salmo 39.12

O silêncio de Deus em nossa vida pode ter vários motivos. Por exemplo, se apesar da nossa oração não queremos admitir toda a verdade: “Jesus, porém, guardou silêncio.” O sumo sacerdote, que interrogou a Jesus, queria admitir a mentira, e não reconhecer a Jesus mesmo como “a verdade”. Preferiram procurar falso testemunho contra Ele. O problema de muitos crentes é que, na verdade, eles oram invocando a Deus para pedir-Lhe ajuda, dizendo como gostariam de ser santificados, mas mesmo assim ainda não estão dispostos a obedecer àquilo que o Senhor lhes mostra acerca de suas vidas interiores. É nesse ponto que o Senhor silencia, e Seu silêncio é a mais profunda resposta.

Um outro motivo é quando Ele não tem mais muito a nos dizer: “E de muitos modos o interrogava; Jesus, porém, nada lhe respondia.” O rei Herodes pensava que como rei poderia começar uma interessante discussão com o Rei dos reis. Mas Jesus não lhe respondeu nada. Por que não? Porque Herodes não se preocupou com um encontro de coração com Jesus. Este é o motivo por que você também não recebe resposta. Você procura os milagres do Senhor ou a pessoa do Senhor? Quer a ajuda ou o Ajudador?

Extraído do livro “Pérolas Diárias” (de Wim Malgo)

Então Jesus, erguendo os olhos e vendo que grande multidão vinha ter com ele, disse a Filipe: Onde compraremos pães para lhes dar de comer

27 de Julho

“Então Jesus, erguendo os olhos e vendo que grande multidão vinha ter com ele, disse a Filipe: Onde compraremos pães para lhes dar de comer?” João 6.5

Podemos tomar a alimentação dos cinco mil como uma representação da tarefa dos filhos de Deus em todo o mundo. É como que se o Senhor quisesse manifestar Sua santa vontade por meio desse maravilhoso procedimento: “…dai-lhes vós mesmos de comer.” Há três elementos na alimentação dos cinco mil.

Primeiro, o pão. Por meio da maravilhosa multiplicação dos pães, vemos que Jesus, como Pão da vida, é suficiente para milhares, milhões, para um incontável número de pessoas. Ele mesmo o diz: “…eu vim para que tenham vida e a tenham em abundância.”

Em segundo lugar, os famintos, os cinco mil. Com esses relacionamos os cinco continentes. O mundo tem fome da verdadeira mensagem do Evangelho.

O terceiro elemento são os instrumentos, os discípulos que tomaram o pão das mãos de Jesus e o deram aos famintos. Só aquilo que recebemos das mãos de Jesus e repartimos é que satisfaz a fome das pessoas famintas. Somente aquilo que Jesus tem e o que Ele é pode satisfazer a mais profunda fome da alma de uma pessoa.

Extraído do livro “Pérolas Diárias” (de Wim Malgo)

Escapa-te por tua vida; não olhes para trás de ti e não pares em toda esta campina… E a mulher de Ló olhou para trás e ficou convertida numa estátua de sal

Terça-feira 29 Julho

Escapa-te por tua vida; não olhes para trás de ti e não pares em toda esta campina… E a mulher de Ló olhou para trás e ficou convertida numa estátua de sal

(Gênesis 19:17,26).

APENAS UMA OLHADINHA

A história da mulher de Ló pode ser contada em poucas palavras. Como habitante de Sodoma, ela estava familiarizada com a imoralidade daquele lugar. Mas pelo fato de Deus querer mostrar Sua misericórdia, ela e sua família foram poupadas do julgamento que destruiu Sodoma. No entanto, o anjo teve quase de expulsá-los da cidade.

Deus exorta e apressa a todos. Ele não quer que o pecador morra, mas que ele “se converta do seu caminho e viva” (Ezequiel 33:11). Deus tomou Ló pela mão, por assim dizer. Como alguém pode se recusar a ir com Ele?

A mulher de Ló olhou para trás. Com tristeza e amargura, ela se virou para contemplar a cidade em chamas na qual havia deixado todas as posses e seu coração. Talvez alguns não pensem que isso seja tão mau; mas ela agiu em absoluta desobediência à ordem expressa de Deus : “Não olhes para trás.” Ela não suportou abandonar a vida em Sodoma, a mesma vida que tinha trazido o julgamento de Deus sobre a cidade. Ela foi embora do lugar apenas fisicamente, mas seu coração permaneceu lá. Deus não tolera um coração dividido.

Queridos jovens, se desejam seguir ao Senhor Jesus, vocês têm de tomar uma decisão bem firme: ou o mundo ou Jesus. Não há possibilidade de ter ambos. O caminho do mundo é o da ruína. O caminho da fé é o da salvação, mas ele exige renúncia. No entanto, o esforço vale a pena: seu prêmio é a vida eterna.

Extraído do devocional “Boa Semente” – literatura@terra.com.br

E Jesus lhes disse: Eu sou o pão da vida; aquele que vem a mim não terá fome; e quem crê em mim nunca terá sede

Domingo 27 Julho

E Jesus lhes disse: Eu sou o pão da vida; aquele que vem a mim não terá fome; e quem crê em mim nunca terá sede

(João 6:35).

JESUS, O PÃO DA VIDA

No evangelho de João existem sete declarações que nos dizem o que Jesus é. Aqui no capítulo 6 Ele Se descreve como o Pão da vida. O que Ele quer dizer com isso? Será que Ele tinha em mente que a semelhança com o alimento conhecido como o sustento da vida significa que Ele é tão indispensável como o nosso pão de cada dia?

Isto pode não dizer nada ao leitor. Mas, o que aconteceria se o Filho de Deus não tivesse Se tornado homem? Onde encontraríamos um Salvador? Que esperança teriam, então, as almas sedentas, as quais têm se desviado e que suspiram debaixo dos seus fardos de culpa?

Sem o Senhor Jesus Cristo e Sua morte substitutiva na cruz, toda a raça humana, incluindo você e eu, estaríamos desesperadamente perdidos e indo para o inferno. Mas através do Evangelho, as boas novas de salvação, há esperança e vida, vida eterna. Todo aquele que nEle crer não se perderá, mas terá a vida eterna. Agora, Deus deseja bem mais que isto para a bênção daqueles que colocam sua fé em Cristo. Ele quer que eles não apenas venham a Ele em arrependimento e fé para se tornarem filhos de Deus em Cristo; é Seu desejo também que o redimido se alimente de Cristo a fim de que obtenha força espiritual. Isto acontece na prática por meio da oração e da leitura da Palavra de Deus a cada novo dia.

Extraído do devocional “Boa Semente” – literatura@terra.com.br

Por que se concede luz ao miserável e vida aos amargurados de ânimo

Segunda-feira 28 Julho

Por que se concede luz ao miserável e vida aos amargurados de ânimo?

Quem não entende… que está na sua mão a alma de tudo quanto vive, e o espírito de toda carne humana?

Por que razão vivem os ímpios, envelhecem, e ainda se esforçam em poder?

(Jó 3:20; 12:9-10; 21:7).

POR QUE TANTAS PERGUNTAS?

Jó viveu há mais de três mil anos. Profundamente abalado pela perda de todos os seus filhos e seriamente doente, ele teve ainda de se submeter a um terrível debate com seus três amigos, que procuravam explicar tamanha provação. Lendo suas reflexões na Bíblia, nos surpreendemos com o número de perguntas que Jó fez sobre a justiça e a existência humana. Quantas delas ainda são aplicáveis hoje! Quer seja um simples pastor ou um profissional que trabalha com tecnologia de ponta, os homens têm pensado sobre as mesmas coisas desde a infância. Quanto mais velhos, mais refletimos sobre essas questões.

Por que fazemos tantas perguntas? Tem de haver uma razão. É claro que a humanidade não criou a si mesma. Para haver criatura tem de haver um Criador. Quem nos deu nossa inteligência e nossa sede por entendimento? Esse dom não é ao mesmo tempo uma mensagem? Pensar nisso nos enche de esperança, mas também nos torna responsáveis por buscar Aquele que nos fez.

Não nos contentemos com uma vaga esperança, pois Deus tem Se revelado claramente. Ele Se manifestou em primeiro lugar através da natureza, depois pelos profetas de Israel, depois pelos apóstolos de Cristo. Os escritos de todos eles foram compilados em um livro: a Bíblia. Ela contém a verdade sobre nós mesmos, descrevendo nosso estado de perdição. Também contém a verdade sobre Deus e proclama Sua justiça e amor. Ela responde as questões mais profundas da alma humana.

Extraído do devocional “Boa Semente” – literatura@terra.com.br

PAULO, apóstolo (não da parte dos homens, nem por homem algum, mas por Jesus Cristo, e por Deus Pai, que o ressuscitou dentre os mortos

Gálatas 1:1-10

Esta é uma severa epístola que o apóstolo Paulo escreveu às igrejas da Galácia. Aqui ele não devia prestar atenção a um pecado moral, como no caso dos coríntios, mas sim a um mal doutrinal dos mais graves. Estes desventurados gálatas, enganados por falsos mestres, estavam abandonando a graça – único meio de salvação -, para retornar a uma religião de obras. Paulo vigorosamente afirma o caráter absoluto da Verdade divina. Ela é uma, é completa, é perfeita, porque a Verdade é o próprio Cristo (João 14:6). Às vezes ouvimos pessoas sustentar intrepidamente – no fundo para justificar a sua incredulidade – que cada povo tem recebido a sua própria revelação, a saber, a religião que mais se adapta a seu caráter e cultura. Nada mais falso! Existe um único Evangelho, o qual proclama que “nosso Senhor Jesus Cristo… se entregou a si mesmo pelos nossos pecados”. Qual é o resultado disso? “Para” – prossegue o apóstolo – “nos desarraigar deste mundo perverso…” (vv. 3-4).

O versículo 10 nos faz recordar de outra verdade que é importante conhecer, a saber, que o esforço para agradar os homens nos faz perder o privilégio de ser servos de Cristo. É somente a Ele que desejamos agradar, acima e antes de tudo? (1 Tessalonicenses 2:4).